biblia.com.br

Como entender e ajudar o homossexual?

Homossexualismo

11 de abril de 2012

Apesar do homossexualismo ser um desvio da normalidade sexual, pessoas com desenvolvimento sexual normal com uma estrutura de personalidade dentro dos níveis da normalidade podem, às vezes ter sentimentos de admiração por pessoa do mesmo sexo, semelhantes aos sentimentos dos homossexuais, sem que, por isso, o sejam. Em outras palavras, as pessoas não homossexuais, podem experimentar certos sentimentos homossexuais, consciente ou inconscientemente, sem que isto constitua um desvio.

Pesquisas revelam pouco

Há interrogações sobre quais fatores causam o homossexualismo. Pesquisas buscam um possível fator biológico que seria transmitido pelos pais à criança. Mas até agora não se comprovou diferenças nos cromossomos dos homos e heterossexuais.

Anthony Storr, psiquiatra e psicanalista inglês, comenta que existem poucas provas que confirmem a ideia de que existam fatores constitucionais inatos ou perturbação das glândulas endócrinas como explicação para a homossexualidade. Para ele o homossexual não nasce feito. O que determinará a preferência sexual de uma pessoa na idade adulta está diretamente ligado às influências emocionais a que esteve exposta durante sua primeira infância.

Homossexualidade feminina

As meninas têm a tendência de absorver as qualidades femininas que a mãe possui (ou não). Podemos dizer que uma menina de sorte é aquela que tem uma mãe que ama o marido e que tem prazer na sua função materna, que se sente bem em ser mulher e feminina.

Há meninas que podem se desenvolver sexualmente bem e, no entanto, virem a se sentir inferiores ou deficientes como mulher. Isto tem duas conseqüências:

1) Elas tentarão fugir de contatos com rapazes porque não acreditam que os homens a achem desejável. Ocorre uma depreciação de si mesmas.

2) Permanecerão no estado pré-adolescente retendo interesse emocional em seu próprio sexo. Permanecerão somente no grupinho das meninas (coisa normal em fases pré-adolescentes), tendo dificuldade emocional em se relacionar com rapazes. A intensidade desse estado pode variar desde a simples admiração pelas outras mulheres, até um impulso emocional intenso e compulsivo para encontrar uma parceira feminina.

Para uma menina sentir-se segura consigo mesma, é necessário um relacionamento carinhoso e amigável entre ela e seus familiares (especialmente com a mãe). Se a mãe se revela fraca em seu modelo de feminilidade, poderá atrapalhar a menina a descobrir sua identidade como mulher. Tem-se observado no estudo da homossexualidade feminina (ou lesbianismo), que a mulher homossexual procura uma mãe de quem seja dependente, busca um modelo feminino com o qual se identifique. As dificuldades sérias no seu relacionamento com sua mãe, junto com fatores pessoais, irão determinar sua direção sexual.

Por mais que uma mulher homossexual adquira satisfações no seu relacionamento com pessoa do mesmo sexo, sempre fica faltando ser vivida e saciada a parte de sua natureza que exige o apoio de um homem. Ela vai tentar receber isto da outra. Daí surgem as tensões, insatisfações, hostilidades porque a outra, obviamente não é um homem e não pode supri-la daquelas atitudes afetivas masculinas que ela, no fundo, necessita. Ambas não podem dar e receber maduramente o amor.

“O Filhinho da mamãe”

O filho que se torna homossexual geralmente é o confidente e o favorito da mamãe. O pai, pouco afetivo e hostil, não dá atenção para ele. A mãe, com excessiva intimidade, aproxima-se do menino. É super emotiva, manipuladora e controladora. Autores citam que uma mãe assim, pode estar querendo, inconscientemente fazer da criança um substituto afetivo para o marido insatisfatório. Isto pode parecer absurdo para muitos, porém achamos que não.

Há pais que criam os filhos buscando, através da forma com que os educa, satisfazerem mais as suas próprias necessidades emocionais do que as dos filhos! Um filho pode ser alvo de um pai ou de uma mãe em busca do afeto que um dos dois ou ambos não receberam em sua infância e que possivelmente podem não estar recebendo no próprio casamento através do relacionamento conjugal. Com isso não estamos lançando culpa sobre os pais por causa da homossexualidade de um filho.

Na maioria dos casos é evidente a participação dos pais no surgimento de tal desvio, porém, as observações psicológicas sérias têm mostrado que as características do ambiente infantil e das condutas dos pais, não dão todas as explicações que determinam o comportamento sexual desviado. Parece haver também algum fator pessoal, possivelmente psicológico, o qual, junto com os fatores familiares e ambientais, produzam o comportamento homossexual.

Quanto aos homens homossexuais, observou-se também que o medo que eles possuem das mulheres existe por causa da dificuldade em separarem-se nitidamente da mãe. Para eles, relacionar-se emocionalmente com uma mulher é voltar aos braços que podem ser ternos, mas que também podem prender. Prender no sentido de impedir o crescimento do eu, prender por causa da forma doentia de ligação afetiva que existiu entre mãe e filho e que, afetivamente falando, volta a existir no contato dele com uma outra mulher. Logo, o homossexual fica com dificuldade de se aproximar eroticamente da mulher porque a teme. Relaciona-se bem com uma mulher enquanto não há elementos eróticos no relacionamento. Ele procura outro homem para ter relações sexuais não porque este seja sedutor, mas porque é menos “perigoso” para ele em relação ao amor erótico ou sexual.

Algumas Causas do homossexualismo

Não existe uma única causa. É difícil provar que o homossexualismo tenha uma causa física ou biológica, mas pode ser aprendido. Existem teorias como isto acontece.

1. Relacionamentos entre pais e filhos – Um pai alheio ou passivo e uma mãe dominadora dentro do lar pode produzir uma situação que favoreça o surgimento do homossexualismo.

2. Outros relacionamentos familiares – Influência dos tios, tias; desconfiança nos homens ou mulheres transmitidas à criança; número excessivo de mulheres; a rejeição de um filho ou filha; o medo do sexo; mãe indulgente; são outros fatores que podem, no seio familiar, produzir uma situação favorável para que a semente do homossexualismo gere os seus frutos.

3. Medo – A inibição, a possível rejeição ou experiências traumáticas com o sexo oposto torna o homossexualismo uma alternativa mais segura e menos temível.

4. Escolha deliberada de atos homossexuais – ninguém nasce homossexual mas pode escolher tal caminho. Pode-se dizer corretamente que os seres humanos têm capacidade para dar uma resposta homossexual ou heterossexual. Quando o impulso for condicionado por um ou outro modo, ou de ambos – em outras palavras, depois da capacidade para dar resposta ter sido explorada e o aprendizado começar – podemos então falar da tendência para a heterossexualidade ou para a homossexualidade. Esta tendência é adquirida e é um produto do aprendizado e não parte da herança biológica do indivíduo.

A Bíblia e o homossexualismo

A Bíblia fala muito pouco sobre o homossexualismo. Cerca de sete passagens fazem breve referência ao caso. Fica claro que o mesmo não é aprovado, não recebendo, porém, ênfase como sendo pior do que outros pecados.

Vários autores cristãos escreveram livros e artigos, muitos deles em completa oposição um ao outro. Parece-nos que há em alguns a tendência de forçar as Escrituras de modo a apoiar suas opiniões. Mas vamos ao que realmente diz a Bíblia.

O Antigo e o Novo Testamento condenam o homossexualismo

A História de Ló (Gênesis 19) – Os anjos foram a Ló na forma humana. Os habitantes da cidade de Sodoma pediram que os homens fossem para fora, pois eles desejavam conhecê-los sexualmente. Ló ofereceu suas filhas apesar de saber que os habitantes da cidade não aceitariam. Eles queriam os homens.

Os anjos disseram: esse é um lugar ímpio. A homossexualidade não era o único pecado de Sodoma e Gomorra, mas o texto é claro.

Levítico 20:13; 18:22 – Aqui estão claras citações contrárias ao relacionamento homem x homem e homem x animais.

Deuteronômio 23:17 e 18 – “Não trarás salário de prostituta nem o aluguel do sodomita”. A palavra hebraica aqui é “cão”. Na cultura daquele tempo um homem submetendo-se a outro homem era chamado de cão (cachorro).

Alguns creem que isto fazia parte da lei cerimonial que foi abolida na cruz. No entanto, o Novo Testamento traz-nos três referências e em duas delas (1 Coríntios 6:9 e 1 Timóteo 1:10) a palavra grega significa “coito com outros homens”. A homossexualidade é condenada aqui juntamente com a idolatria, roubo, mentira, assassinato e outros pecados.

Romanos 1:26, 27 é mais explícito em seu ensino sobre o homossexualismo. Paulo não tenta dizer aqui que somente o homossexualismo idólatra é errado. Ele salienta que quando as pessoas não se preocupam com Deus, lhes é permitido entrar em toda espécie de situações pecaminosas, inclusive a homossexualidade.

Tendências e Mudanças

Acreditamos na possibilidade da recuperação de um homossexual, mas para que isso ocorra deve haver uma tomada de posição por parte do próprio homossexual. É preciso que ele entenda os efeitos danosos desta prática, e se disponha a mudar.

Efeitos do homossexualismo

O homossexualismo afeta o estilo de vida, o autocontrole e possui efeitos emocionais e nos relacionamentos. São situações conflitantes a cada momento. Culpa, desânimo e fuga podem trazer consequências catastróficas sobre o indivíduo.

Deus designou propósito para o sexo

Sempre fica faltando um elemento no amor homossexual que o faz completo. E geralmente ocorre mudança de companheiros porque há uma procura impaciente por algo que espera encontrar, mas que jamais descobre. Mesmo as relações homossexuais mais estáveis carecem ainda da completa realização que se encontra na heterossexualidade, isto é, homem se relacionando com mulher, conforme o propósito designado pelo criador da raça humana.

Ajuda psicológica

O Dr. Storr observa: “Um pervertido sexual sofre efeitos de fracasso inicial no relacionamento com pais de tal forma que ele não se sentiu integralmente amado e passou a considerar-se mau e inferior. Pode ser-lhe difícil acreditar que alguém seja capaz de aceitá-lo, pois ele não pode aceitar a si mesmo. Ele estará inclinado a ver o terapeuta (ou aquele que se propõe a ajudá-lo) como juiz que pode condená-lo, em vez de alguém que se preocupa em ajudá-lo, da mesma forma como no passado viu os pais e as autoridades.

Acrescenta o psiquiatra: “Quando um homem teve a experiência de encontrar pelo menos uma pessoa preparada para aceitá-lo e valorizá-lo, poderá aproximar-se dos outros com espírito aberto em vez de sentir que seria necessariamente rejeitado. Dessa maneira poderá atingir aquela relação profundamente íntima com uma pessoa na qual o amor normal pode florescer e em que os impulsos aberrantes perdem sua importância.

É difícil para o homossexual modificar-se, mesmo com aconselhamento. Mas é possível. Muitos já conseguiram estabelecer novos hábitos de pensamento e ação pelo poder do Espírito Santo.

Deus está a disposição. Inúmeras promessas de Sua palavra confirmam Sua disposição para perdoar e Seu poder para transformar:

(João 6:37) – “Todo aquele que o Pai me dá, esse virá a mim; e o que vem a mim, de modo nenhum o lançarei fora.”

(Isaías 43:25) – “Eu, eu mesmo, sou o que apago as tuas transgressões por amor de mim e dos teus pecados não me lembro.”

(1 João 1:9) – “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça.”

(Êxodo 15:2) – “O SENHOR é  minha força e o meu cântico; ele me foi por salvação; este é o meu Deus; portanto, eu o louvarei; ele é o Deus de meu pai; por isso, o exaltarei.”

(2 Samuel 22:33) – “Deus é a minha fortaleza e a minha força e ele perfeitamente desembaraça o meu caminho.”

(Isaías 27:5) – “que homens se apoderem da minha força e façam paz comigo; sim, que façam paz comigo.”

(Isaías 12:2) – “Eis que Deus é a minha salvação; confiarei e não temerei, porque o SENHOR Deus é a minha força e o meu cântico; ele se tornou a minha salvação.”

O mesmo Jesus que curou cegos e fez andar coxos, que resgatou a prostitutas e reabilitou a ladrões, está à sua disposição para operar o impossível em sua vida. Jesus é o criador da natureza e o recriador da natureza humana. Ele quer e pode dar um novo começo, um novo coração.

Querido leitor você pode estar atravessando um momento muito delicado em sua vida. Venha a Jesus buscar a cura e a paz que você tanto precisa. Mesmo que as batalhas sejam duras e os obstáculos muitos, lembre-se que Jesus veio a este mundo para “buscar e salvar o perdido” (Lucas 19:10). Ele veio para buscar a você e dar-lhe uma melhor qualidade de vida neste mundo e, no futuro, a vida eterna. Estenda as mãos para Jesus, Ele pode e quer lhe ajudar!

Ajudando a homossexuais

O homossexual precisa de apoio, aceitação, compreensão e compaixão em lugar das atitudes comuns de rejeição e desprezo.

Ele necessita ser aliviado de sua carga de sentimentos de culpa e inferioridade que o impede de formar um relacionamento heterossexual. Ajuda muito informá-lo de que ele não é mau por causa de seu modo desviado de viver a sexualidade, de que não é só ele quem tem desejos homossexuais e de que não é impossível ser aceito e amado com as tendências que tem.

Muitos necessitarão de ajuda psicológica profissional e é bom que a busquem porque podem ocorrer certos níveis de tensão tão fortes que um leigo não saberia como lidar com eles.

Além da ajuda de amigos sinceros e de um profissional qualificado, o homossexual pode encontrar encorajamento para mudar e enfrentar seus sofrimentos ao desenvolver a crença de que há um Deus amigo que o aceita e ama do jeito que ele é e está. Um Deus que está disposto a fazer tudo a fim de que o homossexual se torne mais maduro na sua direção sexual. Um Deus que ama com um amor transformador e que tem poder para fazer por ele aquilo que a limitação humana não pode. O amor divino não é um substituto para a ajuda humana de amigos e de profissionais, porém, pode ser a influência que faz a diferença.

Passos para ajudar a um homossexual

1. Determine alvos – Quando alguém pede orientação nessa área é necessário descobrir qual é o seu desejo. Aprovação? Deseja seguir o conselho bíblico e abandonar tal comportamento? Sem que se verifique o que deseja o aconselhando não é possível prosseguir.

2. Nutra uma esperança real – Não é fácil. Embora os atos homossexuais possam ser perdoados por Deus, as tendências homossexuais são muito mais difíceis de erradicar. Mas existe razão para uma verdadeira esperança quando o indivíduo deseja mudar.

3. Transmita conhecimento – Talvez os homossexuais sejam os que mais tabus e mitos possuam sobre o problema que enfrentam. Pode ser encorajador para eles saberem que o homossexual não é um completo desajustado, pervertido, incurável, incapaz. Levando-se em conta de que o homossexualismo é aprendido, existe esperança de que possa ser desaprendido. Desde que o comportamento sexual é pecado, ele pode ser perdoado e sua prática abandonada.

4. Mostre amor e aceitação pela pessoa – Ele precisa desesperadamente de amor. Ele foi ferido, magoado por tudo, por todos e especialmente pelo pecado. Ele é uma vítima do pecado. Nós somos os instrumentos nas mãos de Cristo para ajudar. Compreender e acima de tudo sermos coagentes da redenção.

5. Encoraje a mudança – É necessário paciência para uma reestruturação do estilo de vida e comportamento. Novos hábitos de vida devem ser instalados em lugar dos velhos. Esse é o preço a ser pago.

6. Seja Cristocêntrico – A homossexualidade é por demais complexa. Somente uma ajuda centralizada na pessoa de Cristo poderá trazer resultado definitivo.

Que você seja um instrumento para levar a paz de Cristo e a esperança da transformação para as pessoas que lutam desesperadamente com este problema.

“Mantenham-se no amor de Deus, enquanto esperam que a misericórdia de nosso Senhor Jesus Cristo os leve para a vida eterna.

Àquele que é poderoso para impedi-los de cair e para apresentá-los diante da sua glória sem mácula e com grande alegria, ao único Deus, nosso Salvador, sejam glória, majestade, poder e autoridade, mediante Jesus Cristo, nosso Senhor, antes de todos os tempos, agora e para todo o sempre! Amém”  (Judas 1:21;24 e 25).

Equipe Biblia.com.br