biblia.com.br

O que significa "rasgar" o coração?

11 de abril de 2012

Quando Deus entrou em aliança com o povo de Israel, Ele fez promessas de que grandes bênçãos o acompanhariam se fosse obediente às Suas leis e preceitos, mas caso se rebelasse e não cumprisse os preceitos divinos, Deus retiraria Sua mão protetora desta nação e permitiria que a terra não fosse mais próspera.

Quando Deus entrou em aliança com o povo de Israel, Ele fez promessas de que grandes bênçãos o acompanhariam se fosse obediente às Suas leis e preceitos, mas caso se rebelasse e não cumprisse os preceitos divinos, Deus retiraria Sua mão protetora desta nação e permitiria que a terra não fosse mais próspera. Os israelitas seriam afetados por pestilências, as pragas tomariam conta de suas plantações, não haveria chuva para regar a terra, e se com tudo isso eles não se voltassem para o Senhor em arrependimento, os inimigos o cercariam e eles se tornariam cativos (veja em Deuteronômio 28 e Levítico 26 as bênçãos decorrentes da obediência e as maldições decorrentes da desobediência ao pacto).

A mensagem do profeta Joel, assim como a do profeta Sofonias, é dominada por um único tema: o dia do Senhor, ocasião da retribuição divina. No entanto, o profeta transmite sua mensagem de modo único. Uma terrível praga de gafanhotos havia devastado a produção agrícola de Judá (1:4, 7, 11, 12), deixando o povo e os animais com falta de alimento (1:16-18). Além disso, o templo ficara sem ofertas (1:9). Esse desastre lembra Joel da aproximação iminente do dia do Senhor. Isso o impulsionava a fazer um chamado para o arrependimento com maior urgência (2:12-17). Se o povo respondesse ao convite, receberia bênçãos maravilhosas, inclusive o derramamento do Espírito de Deus (2:28-32), a derrota dos inimigos (3:2-13), o livramento e a restauração (2:18-27; 3:17-20) com o Senhor em seu meio (2:27; 3:21).

A mensagem de Joel é relevante para todas as épocas, principalmente para a geração do tempo do fim, que vislumbra no horizonte acontecimentos da maior seriedade. O juízo do qual não se pode fugir é derramado sobre os inimigos do povo de Deus bem como sobre o povo da aliança que vira as costas para Ele. Entretanto, para quem se arrepende, há um futuro glorioso – tão resplendente quanto o próprio Deus.

Por esta razão Joel diz: “Ainda assim, agora mesmo, diz o SENHOR: Convertei-vos a mim de todo o vosso coração; e isso com jejuns, com choro e com pranto. Rasgai o vosso coração, e não as vossas vestes, e convertei-vos ao SENHOR, vosso Deus, porque ele é misericordioso, e compassivo, e tardio em irar-se, e grande em benignidade, e se arrepende do mal” (Joel 2:12, 13).

O juízo divino – ou até mesmo o aviso referente a ele – tem a intenção de mover o povo a voltar para o Senhor (Amós 4:6-11). O retorno não deve ser apenas exterior, conforme indica a ordem: “Rasgai o vosso coração e não as vossas vestes” (2:13). Em vez disso, deve ser um arrependimento e uma volta para Deus com sinceridade, de todo o coração.

Equipe Biblia.com.br

O que a Bíblia diz sobre o coração?
No céu, reconheceremos nossos familiares?