biblia.com.br

Invalida Romanos 14 a mensagem de saúde e a observância do sábado?

bíblia

11 de abril de 2012

O jejum era um assunto importante na igreja primitiva. Um documento escrito no segundo século, estimulava os crentes a jejuar na quarta-feira e na sexta-feira, em vez de na segunda e terça, como era o costume entre os judeus (Didache, 8:1).

Pr. Angel Manuel Rodriguez, Th.D.

No estudo de uma passagem bíblica, é importante observar não apenas o que ela diz, mas também o que ela não diz. Em alguns casos, o que uma passagem não afirma é mais importante do que o que ela afirma explicitamente. No caso em foco, vamos nos concentrar no que a passagem não diz, para depois apresentarmos algumas sugestões sobre o que Paulo está falando em Romanos 14.

1. Paulo não está atacando costumes bíblicos. Alguns dos destinatários desta carta criam aparentemente que o cristão devia abster-se de comer carne e tomar vinho (Romanos 14:2 e 21). O Antigo Testamento não exige total abstinência de carne de animal, mas somente de carne de alguns animais (Levíticos 11). 0 Antigo Testamento também não considera impuro o suco de uva, somente o sumo sacerdote e os nazireus estavam proibidos de usá-lo. 0 debate não gira em torno de alimento impuro (no grego, akáthartos), mas em torno de alimento considerado comum (koinós, o termo usado no verso 14) e, portanto, não próprio para consumo em certas circunstâncias.

2. Paulo não está falando sobre o sábado. Ele está dizendo que a pessoa “fraca” valoriza mais um dia do que outro, mas ele não afirma explicitamente o motivo para essa distinção. Não há afirmação explícita da parte de Paulo sobre o que era feito durante esse dia ou por que o dia era considerado especial. Não importa o que tenha ocorrido, a pessoa “forte” considerava cada dia igual para o propósito ou atividade que tinha em mente. Assim, o problema não era a atividade, mas qual o melhor dia para realizá-la. Aqueles a quem Paulo escreveu entenderam, sem dúvida alguma, o que ele tinha em mente. Não devemos concluir que Paulo discute aqui o mandamento do sábado. Isto não é afirmado ou sugerido pelo texto, e a simples menção da palavra “dias” não justifica essa conclusão. Ele não trata aqui da Torah do Antigo Testamento, ou lei.

3. Paulo não coloca ênfase na questão de “dias”. Ele dedica apenas dois versos a esse assunto e 21 à questão do alimento. Se ele estivesse discutindo sobre o sábado, teria desenvolvido sua ideia de uma maneira mais ampla, por causa da natureza controvertida do tema. (Uma boa comparação seria o tema da circuncisão e a controvérsia que isso gerou nas igrejas.) Isto sugere que, para Paulo, a escolha de um dia ou outro era um assunto pessoal, e não um dia em que ele quisesse se envolver como juiz.

4. Paulo não está atacando o legalismo. Ele trata do assunto na igreja com base em diferenças de opinião. Aparentemente, ele não o considerou uma ameaça ao evangelho. 0 que quer que os membros estivessem fazendo, não estavam se rebelando contra a vontade revelada de Deus. Portanto, ele não condena as práticas, mas aconselha sobre como aceitar as diferenças com amor cristão. O problema fundamental é a unidade da igreja e a preservação dessa unidade, apesar da diversidade de opiniões em algumas áreas não importantes.

Paulo não está atacando o legalismo de falsos mestres entre os crentes. Então, a que conclusão devemos chegar? A referência a “dias” no contexto da abstenção de certos alimentos, sugere dias de jejum. Esta é a conclusão de alguns eruditos, tanto adventistas como não-adventistas. De acordo com eles, Paulo estava focalizando a prática de dias de jejum, durante os quais certos alimentos eram considerados “comuns” e impróprios para consumo. Isto poderia explicar a controvérsia sobre alimento. Além disso, algumas pessoas consideravam certos dias como apropriados para jejum, enquanto outros consideravam todos os dias como de igual valor. Isto pode explicar a natureza do problema.

O jejum era um assunto importante na igreja primitiva. Um documento escrito no segundo século, estimulava os crentes a jejuar na quarta-feira e na sexta-feira, em vez de na segunda e terça, como era o costume entre os judeus (Didache, 8:1). Tanto quanto sabemos, os judeus não jejuavam durante o sábado.

Equipe Biblia.com.br

Como organizar uma vigília
O que a Bíblia diz sobre rejeição?