biblia.com.br

Por que os adventistas guardam o sábado?

bíblia

11 de abril de 2012

Quando guardamos o sábado estamos lembrando de que há um Deus Criador, e que não estamos no mundo por acaso; dizemos ao mundo que cremos no Eterno e que admiramos os Seus feitos na criação e na salvação do ser humano.

Prof. Leandro S. Quadros

Nós, Adventistas do Sétimo Dia, temos como princípio a observância do Sábado porque Deus, ao terminar o mundo em seis dias, estabeleceu um dia – o sábado – para que o ser humano parasse com suas atividades e repousasse em Sua companhia. O Sábado é um lembrete no tempo de que Deus é o nosso Criador. Dizem as Escrituras: “Assim, pois, foram acabados os céus e a terra e todo o seu exército. E, havendo Deus terminado no dia sétimo a sua obra, que fizera, descansou nesse dia de toda a sua obra que tinha feito. E abençoou Deus o dia sétimo e o santificou; porque nele descansou de toda a obra que, como Criador, fizera” (Gênesis 2:1-3).

Deus estabeleceu o sábado para que fosse um “memorial do Criador” e um “memorial da Criação”. É também um “memorial da redenção”, de nossa libertação do pecado (Deuteronômio 5:15). Quando guardamos o sábado estamos lembrando de que há um Deus Criador, e que não estamos no mundo por acaso; dizemos ao mundo que cremos no Eterno e que admiramos os Seus feitos na criação e na salvação do ser humano.

Jesus Cristo guardou o Sábado e tal costume se propagou entre os apóstolos: “Indo para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume, e levantou-se para ler” (Lucas 4:16). “No sábado, saímos da cidade para junto do rio, onde nos pareceu haver um lugar de oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que para ali tinham concorrido” (Atos 16:13). “Paulo, segundo o seu costume, foi procurá-los e, por três sábados, arrazoou com eles acerca das Escrituras” (Atos 17:2). “E, posto que eram do mesmo ofício, passou a morar com eles e ali trabalhava, pois a profissão deles era fazer tendas. E todos os sábados discorria na sinagoga, persuadindo tanto judeus como gregos” (Atos 18:3-4). “E ali permaneceu um ano e seis meses, ensinando entre eles a palavra de Deus” (Atos 18:11).
Por esses textos podemos perceber que o Senhor Jesus tinha como costume ir à igreja todos os sábados, ao invés de trabalhar na carpintaria (Marcos 6:3). O apóstolo Paulo também tinha o costume de ir à igreja aos sábados. Só na cidade de Corinto, onde ele permaneceu um ano e seis meses (Atos 18:11), ele guardou cerca de 78 sábados! Quando Paulo esteve na cidade de Filipos, não  havia uma sinagoga e muito menos uma igreja cristã. Então, no dia de sábado ele encontrou um lugar apropriado para a oração e culto junto à natureza (Atos 16:13).

Os primitivos cristãos, inclusive Maria, após a morte de Cristo, também observavam o sétimo dia: “Era o dia da preparação, e começava o sábado. As mulheres que tinham vindo da Galiléia com Jesus, seguindo, viram o túmulo e como o corpo fora ali depositado. Então, se retiraram para preparar aromas e bálsamos. E, no sábado, descansaram, segundo o mandamento” (Lucas 23:54-56).

O sábado é um momento em que podemos ter um lindo encontro com o Senhor Jesus Cristo. A cada final de semana, podemos desfrutar desse maravilhoso companheirismo com o Salvador, Deus o Pai, e com o Espírito Santo. É um dia em que podemos também estar por mais tempo na companhia da família e das pessoas que amamos. Durante a semana, pouco falamos com nosso cônjuge ou filhos, e o sábado é uma oportunidade para restabelecermos os laços familiares.

A Bíblia diz que o sábado será também observado na Nova Terra: “Porque, como os novos céus e a nova terra, que hei de fazer, estarão diante de mim, diz o SENHOR, assim há de estar a vossa posteridade e o vosso nome. E será que, de uma Festa da Lua Nova à outra e de um sábado a outro, virá toda a carne a adorar perante mim, diz o SENHOR” (Isaías 66:22-23). Na Nova Terra iremos guardar o sábado como um sinal do eterno reconhecimento de que Cristo criou o paraíso do Éden e criou os novos céus e a nova terra de justiça e santidade. Portanto, o ideal é nos acostumarmos a santificar o sétimo dia aqui, nesta vida.

Mais que um dia de guarda, o Sábado é um sinal de fidelidade a Deus. No livro do Apocalipse temos a descrição de como serão os últimos eventos da história de nosso mundo. Somos informados de que há uma batalha entre o bem e o mal (Apocalipse 12:7-9) e que o desfecho se dará na adoração. Deus faz um chamado em Apocalipse 14 para que todos adoremos a Ele e não ao poder político e religioso apóstata. E o modo que Deus escolheu para demonstrarmos que O adoramos é a guarda do sábado. Veja: “… Temei a Deus e dai-lhe glória, pois é chegada a hora do seu juízo; e adorai aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Apocalipse 14:7).

A seguir, compare esse convite de Apocalipse com o texto de Êxodo 20:11 para que perceba a plenitude da mensagem de Apocalipse 14:7:

“… porque, em seis dias, fez o SENHOR os céus e a terra, o mar e tudo o que neles há e, ao sétimo dia, descansou; por isso, o SENHOR abençoou o dia de sábado e o santificou” (Êxodo 20:11).

Veja que a semelhança entre Apocalipse 14:7 e Êxodo 20:11 nos dá a razão para observamos o Sábado! O texto de Apocalipse está parafraseando o 4º mandamento! É um convite para que adoremos a Deus no sábado. Veja também que essa mensagem é para os últimos dias e tem um caráter urgente! Portanto, Deus está chamando um povo para que O adore com fidelidade. A adoração sempre foi e sempre será (até Jesus voltar) o ponto de controvérsia entre o bem e o mal. De um lado, está Deus, pedindo que O adoremos; de outro, um poder exigindo adoração para si mesmo, pedindo que os cristãos guardem outro dia.

A quem iremos servir? A quem vamos obedecer? Que possam ser nossas as palavras do apóstolo Pedro e dos demais apóstolos: “Então, Pedro e os demais apóstolos afirmaram: Antes, importa obedecer a Deus do que aos homens” (Atos 5:29).

E, lembre-se: nossa maior motivação em guardar o sábado deve ser o amor ao Senhor Jesus: “Se me amais, guardareis os meus mandamentos” (João 14:15). Esse amor é desenvolvido pela comunhão com Ele. Por essas e outras razões, nós, Adventistas do Sétimo Dia, guardamos o sábado. É um memorial eterno do Criador e Redentor. Nos últimos dias Deus está nos chamando para que O honremos por meio da adoração e o dia que Ele escolheu para que guardássemos é o sábado, observado por Jesus, os primitivos cristãos, Maria e os apóstolos.

O sábado é o selo de Deus que deve estar em nossa mente. Para que esse selo esteja em nós, temos de guardar o sábado. O repouso no 7º dia será o ponto que irá distinguir entre os que servem a Deus dos que não o servem. Sendo assim, podemos concluir que todos nós devemos guardar o sábado, pois cada um precisa obedecer a Deus. É importante para qualquer ser humano lembrar de Deus como Criador recebendo o selo divino. Estamos orando a Deus para que este selo seja colocado em seu coração.

Um forte abraço!

Equipe Biblia.com.br

Como organizar uma vigília
O que a Bíblia diz sobre rejeição?