biblia.com.br

É contrário a vontade de Deus casar-se apenas no civil?

11 de abril de 2012

Se os noivos se mantém castos e estão em harmonia com as normas da igreja, é possível fazer o casamento no civil e...

“É contrário a vontade de Deus casar-se apenas no civil? O pastor pode dar uma bênção se o casamento não se realizar na igreja?”

Se os noivos se mantém castos e estão em harmonia com as normas da igreja, é possível fazer o casamento no civil e pedir a um pastor devidamente ordenado para ministrar a bênção.  A Igreja Adventista do Sétimo Dia realiza periodicamente cursos para noivos, onde esta e outras questões são abordadas e respondidas. Por isso, em primeiro lugar, recomendamos que você procure o pastorado de sua igreja e demonstre sua intenção de se casar conforme as orientações divinas.

Diante de um assunto tão nobre, destacamos que a cerimônia religiosa é muito importante devido à bênção e testemunho público perante a igreja, familiares, amigos e sociedade de que se assume um compromisso vitalício de amor, exclusividade e fidelidade.

No manual da Igreja Adventista (2010, p. 155) encontramos a seguinte declaração:

“O casamento é uma instituição divina estabelecida pelo próprio Deus antes da queda, quando tudo,  inclusive o casamento, ‘era muito bom’ (Gênesis 1:31). ‘Por isso, deixa o homem pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne’ (Gênesis 2:24). Deus celebrou o primeiro casamento. Assim esta instituição tem como seu originador o Criador do Universo. ‘Venerado seja […] o matrimônio’ (Hebreus 13:4); foi esta uma das primeiras dádivas de Deus ao homem, e é uma das duas instituições que, depois da queda, Adão trouxe consigo aquém das portas do Paraíso (O Lar Adventista, p. 25, 26). Deus tencionava que o casamento de Adão e Eva servisse de modelo para todos os casamentos posteriores, e Cristo endossou este conceito original'” (Mateus 19:4-6).¹

Nos tempos antigos, já após o pecado, geralmente a família do noivo escolhia a noiva. Foi assim com Agar para com Ismael (Gênesis 21:21), Judá para Er (Gênesis 38:6), Manoá para com Sansão (Juízes 14:2) dentre outros. Também se fazia uma festa de compromisso, esta poderia durar uma semana (Gênesis 29:22; Juízes 14:12; Mateus 22:1-10; João 2:1-10). Não havia cartório naquele tempo, assim como não havia nem sequer papel no Éden, mas aquela festa era uma manifestação pública – diante de testemunhas, familiares e amigos – de que homem e mulher seriam exclusivos um do outro. Somente após a cerimônia festiva é que ambos podiam ter relações sexuais.

Dentro de um contexto teocrático (realidade de Israel no Antigo Testamento), não havia distinção entre Igreja e Estado, ou leis religiosas e leis civis. O patriarca (sacerdote do lar) oficiava a cerimônia e abençoava o casal. A partir desse momento, o casal estava casado no religioso e no civil. A sociedade funcionava assim naquele contexto. Já na nossa realidade, existe distinção entre as leis civis e as leis religiosas. Há separação entre Igreja e Estado, o que torna necessário ao casamento moderno tanto a bênção religiosa, quanto a união civil.

Sendo assim, o casamento tem dois aspectos: o Religioso e o Civil. O aspecto religioso é regulado pela Bíblia e o civil, pelas leis do Estado. Segundo as Escrituras, a intimidade sexual é exclusiva ao matrimônio e qualquer prática sexual fora do casamento é pecado. Por isso, quem deseja estar no centro da vontade de Deus deve considerar as leis divinas e as leis civis do país. O casamento civil deve ocorrer primeiro e, em seguida, a cerimônia religiosa e a bênção para a união em uma só carne. Portanto, somente depois destas duas etapas o casal poderá desfrutar da intimidade sexual.

E se já houve intimidade sexual entre o casal, eles ainda podem se casar na igreja e receber a bênção divina? Sendo que a bênção divina é reservada para a união de corpos, uma vez que esta união já tenha sido consumada através do ato sexual, o casal deve casar-se apenas no civil. A igreja reconhece o casamento civil, pois o Estado também reconhece o matrimônio como entidade familiar, protegendo por lei os valores de compromisso e continuidade da família. Poderão ser muito abençoados na condição de se consagrarem diariamente a Deus.

Que Deus lhe abençoe!

Equipe Biblia.com.br

_______________________

¹Manual da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Tatuí, Casa Publicadora Brasileira, 2010.

O que a Bíblia diz sobre o coração?
No céu, reconheceremos nossos familiares?