biblia.com.br

Ezequias e o Dia em que o Sol Retrocedeu

15 de agosto de 2019

Deus pode fazer milagres por meio da sua vontade, não da nossa.

“Os céus declaram a glória de Deus; o firmamento proclama a obra das suas mãos. Nos céus ele armou uma tenda para o Sol, que é como um noivo que sai de seu aposento e se lança em sua carreira com a alegria de um herói. Sai de uma extremidade dos céus e faz o seu trajeto até a outra; nada escapa ao seu calor” (Salmo 19:1, 4-6). Quando Deus criou os céus e a terra, ele mesmo estabeleceu todas as leis que regem a existência de todos os elementos constituintes do Universo, bem como a sustentação da vida. Foi ele quem estabeleceu o Universo pelo poder da sua palavra.

Ezequias, rei de Judá, reinou de 729 a 686 a.C., após um período de grande apostasia no reino de Judá perpetrado por seu pai, o rei Acaz. Ezequias assumiu o trono aos 25 anos de idade e “fez ele o que era reto perante o Senhor, segundo tudo o que fizera Davi, seu pai. Confiou no Senhor, Deus de Israel, de maneira que depois dele não houve seu semelhante entre todos os reis de Judá, nem entre os que foram antes dele. Porque se apegou ao Senhor, não deixou de segui-lo e guardou os mandamentos que o Senhor ordenara a Moisés” (2 Reis 18:3, 5, 6). Ezequias empreendeu uma grande reforma espiritual em Judá, levando o povo ao plano inicial que Deus havia traçado para Israel. O reinado de Ezequias foi marcado por muita prosperidade e por milagres impressionantes, incluindo a derrota e morte de Senaqueribe, um dos maiores imperadores da Assíria.

No auge do seu reinado, “Ezequias adoeceu de uma enfermidade mortal. Veio ter com ele o profeta Isaías, filho de Amoz, e lhe disse: Assim diz o Senhor: Põe em ordem a tua casa, porque morrerás e não viverás” (Isaías 38:1). Ninguém está preparado para morrer, e assim o chão saiu dos pés de Ezequias. O relato bíblico diz que Ezequias orou para que Deus se lembrasse de como ele o amou e seguiu os seus mandamentos de todo coração. Rogou por misericórdia “e chorou muitíssimo” (Isaías 38:2-4).

“Então, veio a palavra do Senhor a Isaías, dizendo: Vai e dize a Ezequias: Assim diz o Senhor, o Deus de Davi, teu pai: Ouvi a tua oração e vi as tuas lágrimas; acrescentarei, pois, aos teus dias quinze anos” (Isaías 38:5, 6).

Em 2 Reis 20:9 e 10, Ezequias pediu um sinal do favor de Deus, da mesma forma como fez Moisés, em Midiã, Gideão, na presença do Anjo do Senhor, e Eliseu, momentos antes da ascensão de Elias. Muitas vezes nós pedimos um sinal de Deus para então confiar nele. Não era o caso de Ezequias. Ele já havia experimentado o poder de Deus em seu reinado. Ele pediu para confirmar que essa era a vontade de Deus. Se essa não fosse, ele seguiria sem questionar, mesmo em tristeza. Isaías perguntou: “Adiantar-se-á a sombra [do Sol] dez graus ou os retrocederá?” Ezequias pediu o mais difícil, pois confiava que nada era impossível para Deus. “Assim, retrocedeu o Sol os dez graus que já havia declinado” (Isaías 38:8; veja 2 Reis 20:11); e Ezequias foi curado da sua doença.

Vamos fazer alguns cálculos simples. Num dia solar de 24h, a Terra realiza uma rotação de pouco mais de 360º em torno do seu próprio eixo. Sendo assim, cada hora possui aproximadamente 15º de rotação. Se a sombra do Sol retrocedeu dez graus, isso significa que Deus inverteu o sentido de rotação, fazendo um planeta inteiro recuar dez graus! Esse milagre acrescentou pelo menos 39 minutos e 50 segundos àquele dia, sem contarmos o tempo que a Terra demorou para voltar esses dez graus. Pode parecer pouco à primeira vista, mas não se esqueça que estamos falando de um planeta de 12.742 km de diâmetro, com uma superfície de 510 milhões de quilômetros quadrados e uma massa de seis sextilhões de toneladas, que gira a uma velocidade de 1.700 km/h, com oceanos e seres viventes em sua superfície! Quando Deus desacelerou essa Terra, a fez girar no sentido contrário, e a desacelerou novamente para voltar à sua rotação normal, ele precisou segurar os mares, a atmosfera, montanhas, construções e tudo o que se move, sem causar dano a nada! Caro leitor, Deus realizou um milagre que moveu as forças do Universo para curar o seu servo!

Sabe o que é impressionante a respeito disso? É que, como vimos no início desse artigo, Deus estabeleceu todas as leis de existência do Universo. Um milagre ocorre quando Deus, pelo seu poder e autoridade, extrapola essas leis e atua de forma dinâmica para abençoar a vida dos seus filhos. Nós não podemos fazer isso, mas Deus pode, sem dificuldades!

Muitos cristãos hoje vão à igreja com o objetivo de receber bênçãos de Deus na vida financeira, espiritual, psicológica, familiar, afetiva e na saúde. Buscar bênçãos na vida não é errado. Mas, o problema é quando fazemos desses “milagres” o foco principal da vida cristã. Muita gente comete esse erro; e muitas falsas igrejas se valem disso para obterem lucro, oferecendo os milagres em troca de ofertas. Quanto maior as ofertas, maiores os milagres. Se você tem agido assim para firmar a sua fé em Deus, cuidado! É um grave erro buscar as bênçãos do Senhor em vez de buscar o Senhor das bênçãos.

Embora um milagre seja usado por Deus para reforçar a fé dos que nele creem, essa não é a sua função principal. Deus faz milagres para confirmar uma fé que já foi exercida pelo seu filho. Ele confia no Senhor; só então o milagre é realizado. Eles devem servir de memorial para que possamos nos certificar de que “grandes coisas fez o Senhor por nós; por isso, estamos alegres” (Salmo 126:3). Na vida de Jesus, os seus milagres foram sinais do seu ministério messiânico para salvar os perdidos. Na vida de Ezequias, esse milagre que moveu o espaço sideral, deveria servir como memorial de que Deus compensa a fidelidade dos seus escolhidos.

Devemos também entender que milagres podem acontecer ou não. Por isso, nossa fé não deve se basear em milagres para crescer. Uma prova disso é o fato de o próprio rei Ezequias, que durante sua vida foi fiel ao Senhor, se esqueceu completamente do que Deus havia feito. Merodaque-Baladã, rei da Babilônia de 721 a 709 a.C., era uma “pedra no sapato” do império assírio. Firme, o guerreiro buscava apoio das nações ao redor para formar uma aliança contra Nínive. Pode ser por isso que ele enviou uma comitiva real para visitar Ezequias e saber mais desse grande milagre (veja Isaías 39:1; 1 Reis 20:12). Em vez de Ezequias exaltar o poder e misericórdia do grande Deus de Israel, ele “lhes mostrou toda a casa do seu tesouro, a prata, o ouro, as especiarias, os óleos finos, o seu arsenal e tudo quanto se achava nos seus tesouros; nenhuma coisa houve, nem em sua casa, nem em todo o seu domínio que Ezequias não lhes mostrasse” (2 Reis 20:13). A fé e gratidão deram lugar ao orgulho e vaidade no coração de Ezequias.

Ezequias admitiu seu erro e se arrependeu amargamente do erro que cometeu. Embora tenha voltado para Deus e recebido o seu perdão, o seu erro gerou resultados desastrosos anos depois. Essa mesma nação que buscou conhecer mais sobre o poder de Deus se tornou a grande opressora de Judá. As riquezas de Ezequias encheram os olhos dos caldeus. A exaltação dele foi a ruína de Judá, que foi invadida, seu povo, morto e deportado de Jerusalém, permanecendo cativo em Babilônia por setenta anos.

Prezado leitor, Deus pode fazer milagres por meio da sua vontade, não da nossa. Se Deus julgar necessário fazer um sinal em seu favor, engrandeça o nome dele, não a sua fé, porque até a nossa fé provém de Deus. Em vez de buscar as bênçãos do Senhor, busque primeiro o Senhor das bênçãos. Busque em primeiro lugar o reino de Deus e a sua justiça, e todas as outras coisas lhe serão acrescentadas (Mateus 6:33). Entregue o seu caminho ao Senhor, confie nele, e o mais, ele fará (Salmo 37:5).

Que Deus abençoe você!

Equipe Biblia.com.br

_______________

Denis Versiani é Mestre em Teologia.

 

Elias, o Profeta de Fogo
O que a Bíblia Ensina sobre Generosidade