Diretório de artigos

Pesquise por termo ou palavra chave

a b c d f g h i j l m n o p q r s t u v x z

Onde na Bíblia é caracterizado a Santíssima Trindade?

Como entender a existência de três pessoas na Divindade, sendo chamadas de um único Deus?

A natureza das três pessoas da Divindade não nos é possível compreender plenamente, mas, pelas evidências escriturísticas, podemos compreender e aceitar sua existência.
Nossa mente finita não pode entender, mas a Revelação nos diz claramente: “Ouve ó Israel, o Senhor Teu Deus é um único Deus” (Deuteronômio 6:4). Entretanto, se observarmos atentamente as evidências bíblicas, este Deus único é composto de três pessoas distintas.
Apresentaremos, a seguir, uma série de textos sobre as três pessoas da Divindade.
Em Êxodo 3:4 temos a revelação acerca do nome de Deus – “Eu Sou o que Sou”. Normalmente, aceitamos que este texto está falando de Deus Jeová, o Pai. No entanto, João 8:58 nos diz que os judeus queriam matar Jesus porque Ele disse “EU SOU”. Percebemos aqui que, na verdade, quem se manifestou na sarça ardente (Êxodo 3:4-12) foi Jeová, o Filho. Isso é confirmado pelo relato de Atos, cáp. 7.
Em João 10:30, outra vez, os judeus queriam pegar em pedras para matar Jesus. Ele dissera: “Eu e o Pai somos um”. Eles o acusaram de blasfêmia porque Ele se proclamara igual a Jeová, o Pai.
Não entendemos tudo, mas somos chamados a aceitar essa e outras revelações da Palavra – precisamos crer!
Continuando, em II Pedro 1:17 nos é declarado que Jesus recebeu de Deus o Pai (Jeová) a honra e a glória quando lhe foi dirigida a voz: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo.”
Aqui temos duas coisas específicas: primeiro que há uma pessoa chamada Pai; segundo, que Ele é identificado como Jeová (Deus).
Vamos para outras evidências acerca das pessoas da Divindade:

A Pessoa de Jesus
Em Apocalipse 1:8 lemos: “Eu sou o Alfa e o Ômega (o princípio e o fim), diz o Senhor, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-Poderoso.”
Quem é esse? Sem dúvida, Deus o Pai.
Examinaremos agora o cápitulo 22:7, 13 e 16. “Alfa e Ômega, o princípio e o fim”. Essas expressões são aqui claramente atribuídas a Jesus. Por quê? Porque Ele sendo Deus (Jeová), o Filho também pode assumir esses títulos.
O título “Filho do homem” é atribuído a Jesus (Apocalipse 1:12). Já os versos 17 e 18 fazem referência a esse Filho do homem como o Alfa e o Ômega, o primeiro e o último. Jesus, sem dúvida, é Deus (Jeová), o Filho.
Coloquemos lado a lado Isaías 44:6 e Apocalipse 1:17 e 18. Há dois “primeiro e último”, dois “Alfa e Ômega”. É a mesma pessoa falando em distintas ocasiões!
Até este ponto, temos mostrado que há duas pessoas: Pai e Filho e ambas são chamadas de Jeová.
Romanos 9:5 é um texto adicional para mostrar que Cristo é “Deus bendito eternamente”.

A Pessoa do Espírito Santo
Saiamos em busca da terceira pessoa. Há uma terceira pessoa identificada como o Espírito Santo e que também se chama Jeová (Deus).
Em Atos, cap. 5, há um texto interessante que nos passa por alto quando lemos apressadamente. Temos ali a história de Ananias e Safira.
Nos versos 3 e 4, lê-se: “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço da verdade? Não mentiste aos homens, mas a Deus.”
Quem é esse Espírito Santo? A resposta está no verso 4: “Não mentiste aos homens, mas a Deus”.
Duas coisas: Pedro apresenta (verso 3) o Espírito Santo como uma pessoa e, no verso 4, reconhece que essa pessoa é Deus (Jeová).
O cápitulo 13:1 e 2 de Atos tem mais detalhes. Ali nos diz que o Espírito Santo falou: “Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra que os tenho chamado”.
Notemos que o Espírito Santo fala e faz um chamado especial (para serviço) sem qualquer intermediário. Ele fala, decide, escolhe, separa (chama) a quem Ele deseja.
Conclusão: há três pessoas que são chamadas igualmente de Deus ou Jeová.

Evidências Adicionais:

1. Na encarnação – Lucas 1:35 – As três pessoas, em diferentes funções, são mencionadas.
2. Batismo de Jesus – Mateus 3:16 e 17 – O Pai, o Filho e o Espírito Santo presentes por ocasião do batismo.
3. A comissão evangélica – Mateus 28:19 – Outra vez encontramos a Trindade na fórmula oferecida para o batismo dos crentes.
4. Na Ressurreição de Jesus – Atos 3:26; II Tessalonicenses 1:10 João 2:19-21 – Temos o Pai e o Filho envolvidos na ressurreição. Para completar o quadro, temos Romanos 8:11. Aqui o Espírito é apresentado como autor da ressurreição de Cristo. Atos 17:31 menciona Deus, o Pai, ressuscitando. O Deus triúno participou na ressurreição de Jesus.
5. Bênção apostólica – II Coríntios 13:13 – Outra vez, o Pai, o Filho e o Espírito Santo atuando em favor da igreja cristã.

Muito mais poderia ser acrescentado, pois há dezenas e centenas de textos para formar um quadro mais amplo. Em toda a Escritura temos evidência da ação de três Pessoas amorosas, poderosas, oniscientes e onipresentes, unidas num só propósito: salvar Seus filhos e guiá-los para a felicidade eterna.
“Esse é o nosso Deus a quem aguardamos; nele gozaremos e nos alegraremos” (Isaías 25:9). E afinal, não é exatamente isso que esperávamos dEle?

Texto elaborado pelo Pr. Dermival Reis

Mais itens relacionados

Comentarios

Este artigo teve "19 Comentários"

  • jol lima disse:

    sabemos com base na bíblia que Jesus não
    não era um mero homem, contudo apesar de
    não entender-mos plenamente a natureza das
    três pessoas e da mesma maneira a encarnação.
    podemos entender que o Pai,o Filho e o Espírito
    Santo são pessoas distintas e não apenas
    manifestações distintas da divindade
    sendo tal distinção real e não apenas aparente.

  • João disse:

    Bem é bom saber que realmente existem pessoas que se interessam em pesquisar a palavra de Deus.
    Mas, acerca da trindade a minha pergunta é a seguinte: será que Deus (Jeová) morre? Visto que a bíblia o considera um imortal. Se a resposta for não, então como explicariam a morte de Jesus sendo ele o próprio Jeová?
    Segundo: a bíblia diz que homem nenhum jamais viu a Jeová, como é possível Estevão ter visto a Jesus nos céus, mas quanto Deus só conseguiu ver a sua glória e não o seu rosto.
    Terceiro: Jesus dirigia as suas orações aquém sendo ele o próprio Deus(Jeová)? Marcos 14:35,36
    Quarto: na sua morte Jesus exclamou: meu Deus por que me abandonaste? Se ele era o próprio Deus quem lhe tinha abandonado? (Mateus 27:45,46)
    Quarto: quando perguntaram a Jesus sobre o fim ele disse quem ninguém (incluindo ele) tinha conhecimento, mas somente o pai sabia? Se ele fosse próprio Jeová também deveria saber…

  • Tudo bem?meu querido pr?Eu fique muito emprecionado,com às respostas das a luz da bíblia.Agradeço muito à Deus,por inspirar-te.Porque também tinha às mesmas enquentaçoes mas fiquei esclarecido.Agora aminha pergunta é seguinte não tem nada haver com tema.Adão e Eva foram criados mortais ou imortais?

    • Instrutor disse:

      Ótima pergunta querido irmão e amigo, veja este texto que nos esclarece sobre o assunto:
      Mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Não comereis dele, nem nele tocareis para que não morrais.Gênesis 3:3
      Perceba que eles foram criados não para que morressem, mas após o pecado entrar neste mundo tudo mudou, Deus seja louvado pelo plano de salvação que Ele fez para nós e por nós, amém?

  • Valdo Machado Sebastiao disse:

    eu gostei muito de ter encontrado o vosso artigo, isso esta a tornar-me numa pessoa convicta de que muitos comentarios e preguntas postas contra os catolicos e simplesmente para contrariar e monstrar o quanto algumas pessoas tenhem ainda dentro de si, mesmo dizendo-se serem cristaos os espirito de disvalor e descriminacao a, nos… desejo muita saude a todos voces que tenhem trabalhado para o esclarecimento das nossas duvidas e o engrandecimento do reino de Deus.

  • marcelo disse:

    ola amigos au respode acara amiga não respodeu sobre estevão ATOS cap 7;55.56

    • Instrutor disse:

      Muito interessante este texto querido irmão, note o contraste entre o Estevão e seus furiosos inimigos. Quando menciona “cheio”, isto não indica uma repentina inspiração, a não ser contínua. Estevão tinha estado nas mesmas condições tanto ao princípio (cap. 6: 5) como ao final: estava”cheio do Espírito Santo”.
      Ele viu “os céus abertos”. Nenhum dos pressentes viram a glória dos céus abertos; portanto, esta afirmação de que Estevão via essa glória agravava, segundo eles, sua culpa. Mas só os profetas podem nos dizer se o que viram o contemplam com o olho interior espiritual, ou mediante uma aguda penetração do sentido físico (cf. Mat. 3: 16; 2 Cor. 12: 2-6).

      O discurso de Estevão começou com uma referência ao “Deus da glória”, e concluiu descrevendo uma visão de glória divina que brilhava em sua mente. Quão
      absorto deve ter estado contemplando essa glória! Esqueceu os perigos de morte nesse momento, e entregou inteiramente à visão celestial.

      Filho do Homem, além dos Evangelhos, este título só aparece aqui e no Apoc. 1: 13; 14: 14. Estevão pôde ter ouvido de lábios do Jesus ou dos apóstolos, pois apresentou seu discurso antes de que se escrito algum Evangelho.

      Aguardaremos seu retorno, Deus ama muito você, que Ele te abençoe poderosamente, um grande abraço.

  • Letícia disse:

    Tenho duvidas pois em Marcos 10:18 Jesus disse: Por que me chamas de bom? Ninguém é bom, exceto um só, Deus. Colossenses 1:15 diz: ” Ele é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação”. Quanto a afirmação ” na Trindade isso não acontece, mostram os nomes nem sempre na mesma ordem o que deixa claro que Eles estão no mesmo nível” em João 14:28 Jesus diz que o pai é maior que ele. Em João 5:19 Jesus diz que não pode fazer nada de sua própria iniciativa.
    Em Filipenses 2:6 diz que embora Jesus EXISTISSE EM FORMA DE DEUS não teve por USURPAÇÃO SER IGUAL A DEUS. Mais adiante no verso 9 diz que, por esse e outros motivos citados nos versos 7 e 8, Jesus foi enaltecido, por Deus, a uma posição superior.

    Quanto ao Espirito Santo em varias passagens da Biblia ele se manifesta de diversas maneiras. Em Corintios 2:12 diz que o espirito é dado por Deus. Em Atos 7:55,56 diz que Estevão estava cheio do Espirito Santo e que viu Jesus a direita de seu pai o que prova que o Espirito Santo não é uma pessoa.

    Aguardos respostas

    • Instrutor disse:

      Olá querida irmã, será uma alegria enorme podermos te ajudar com estas questões, vejamos:
      Em Marcos 10:18, Jo 14:28 e Filip 2:6 e outras declarações que falam da subordinação de Cristo ao Pai referem-se à condição de Cristo durante a encarnação, e não à Sua natureza divina como contrastando com a do Pai. Em Filipenses 2:5-11, Paulo declara (1) que antes da encarnação Cristo possuía a mesma “forma de Deus” e era “igual a Deus” (verso 6); (2) que durante a encarnação Ele “Se esvaziou” e “Se humilhou”, “assumindo a forma de servo” (versos 7-8); e (3) que após a encarnação Ele reassumiu todo o Seu status original de igualdade com o Pai (versos 9-11).

      Cristo destacou várias vezes, durante Seu ministério terrestre, Sua posição de igualdade com o Pai. De acordo com a compreensão oriental, ao Cristo afirmar que “Deus era seu Próprio Pai”, Ele estava fazendo-Se “igual a Deus” (Jo 5:18). Cristo também disse: “Eu e o Pai somos um” (Jo 10:30). Em outra ocasião Ele chegou mesmo a reivindicar para Si o título sagrado “EU SOU” (Jo 8:58), usado no Antigo Testamento para designar a Deus (ver Êx 3:14).

      Durante Sua encarnação, Cristo viveu como homem entre os homens, deixando-nos um exemplo de perfeita dependência do Pai (I Pe 2:21). Nessa condição Ele não apenas declarou que “o Pai é maior do que Eu” (Jo 14:28) e que “o Filho nada pode fazer de Si mesmo” (Jo 5:19), mas também pôs-Se de joelhos e orou ao Pai (Lc 22:41-42). Não podemos, no entanto, usar essas declarações para tentar justificar a falsa teoria de que Cristo é de alguma forma inferior ao Pai.

      O Novo Testamento é claro em afirmar que Cristo é verdadeiramente Deus (Jo 1:1; 20:28; Tt 2:13; Hb 1:8; II Pe 1:1) e que nEle “habita corporalmente toda a plenitude da Divindade” (Cl 2:9). Paulo jamais poderia ter falado de Cristo como possuindo “toda a plenitude da Divindade” se Ele não fosse coeterno com o Pai e da mesma essência que Ele.

      Ao longo da história do cristianismo, houve muita discussão a respeito do significado do termo “primogênito” (grego protótokos) quando usado em relação a Cristo. No Novo Testamento, Cristo é chamado de “o Primogênito” (Hb 1:6), “o primogênito de toda a criação” (Cl 1:15), “o Primogênito dos mortos” (Ap 1:5), “o primogênito de entre os mortos” (Cl 1:18) e “o primogênito entre muitos irmãos” (Rm 8:29).

      Para entender essa questão, é importante ter em mente que, entre os israelitas, todo o primogênito deveria ser consagrado ao Senhor (Êx 13:1-16; ver Lc 2:22-24), recebendo herança “dobrada” em relação aos demais irmãos (Dt 21:15-17). Embora o termo “primogênito” seja normalmente usado para designar o primeiro filho de um casal, ele é também empregado na Bíblia em relação a um dos demais filhos, que não o mais velho, mas que tenha se destacado entre os seus irmãos. É neste sentido que Deus qualificou a Israel, que não era a nação mais antiga da terra, de “meu primogênito” (Êx 4:22); a Efraim, o segundo filho de José e Azenate, de “o meu primogênito” (Jr 31:9); e a Davi, o mais novo dos oito filhos de Jessé, de “meu primogênito, o mais elevado entre os reis da terra” (Sl 89:27).

      Cristo é qualificado de “o primogênito de toda a criação” (Cl 1:15) em um contexto que O enaltece como o Criador que está acima de toda a criação. Em Colossenses 1:15-17, Paulo afirma que Cristo “é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação; pois nEle foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio dEle e para Ele. Ele é antes de todas as coisas. NEle tudo subsiste.”

      Se o próprio Cristo fosse uma criatura do Pai, como alegam alguns pretensos cristãos, como poderia o texto acima afirmar que “tudo” o que foi criado foi “por meio dEle” criado? Se Cristo houvesse sido gerado em algum momento da eternidade, como poderia ser chamado em Isaías 9:6 de “Deus Forte” e “Pai da Eternidade”? Nesse caso, Ele não seria “Pai da Eternidade”, mas simplesmente uma criatura que veio à existência em algum momento específico da eternidade! Cremos, porém, que como “o primogênito de toda a criação” Cristo é o Soberano absoluto sobre toda a criação, pois “nEle habita corporalmente toda a plenitude da Divindade” (Cl 2:9).
      Em Atos 5, há um texto interessante que nos passa por alto quando lemos apressadamente. Temos ali a história de Ananias e Safira.
      Nos versos 3 e 4, lê-se: “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço da verdade? Não mentiste aos homens, mas a Deus.”
      Quem é esse Espírito Santo? A resposta está no verso 4: “Não mentiste aos homens, mas a Deus.”
      Duas coisas: Pedro apresenta (verso 3) o Espírito Santo como uma pessoa e, no verso 4, reconhece que essa pessoa é Deus (Jeová).
      O capítulo 13:1 e 2 de Atos tem mais detalhes. Ali nos diz que o Espírito Santo falou: “Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra que os tenho chamado”.
      Notemos que o Espírito Santo fala e faz um chamado especial (para serviço) sem qualquer intermediário. Ele fala, decide, escolhe, separa (chama) a quem Ele deseja.
      Conclusão: há três pessoas que são chamadas igualmente de Deus ou Jeová.

      Alguns dizem que o Espírito Santo é uma energia mas vejamos na Palavra de Deus quais as características do Espírito Santo:
      Salmo 104:30- Criador;
      Salmo 139:7 a 10- onipresente, está em todos os lugares.
      Salmo 139- onipotente.
      I Coríntios 2:10- onisciente.
      João 14:26-consolador, ensinará todas as coisas.
      João 16:8,13- convencerá do pecado e guiará até a verdade.
      Hebreus 9:14- eterno
      Todos estes atributos são de Deus, logo Espírito Santo também é Deus.
      Na hora do juízo em Apocalipse 7:17 diz que o Cordeiro, Jesus, está no meio do trono, logo tem uma pessoa de cada lado.
      Vimos então que desde a criação até o juízo, Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo estão conosco.

      Aguardaremos seu retorno e opinião, conte sempre conosco, será sempre uma alegria muito grande podermos conversar sobre a Bíblia, que Deus abençoe muito a sua vida, um grande abraço.

  • Leonel Marcos disse:

    Pr. a respeito da Trindade me responda: A expressão “A Santíssima Trindade”,não refere-se a uma “santa” da Igreja Católica? que nós cristãos usamos erradamente!

    • Instrutor disse:

      Olá querido irmão, ficamos muito felizes em poder conversar contigo. Esta expressão representa que nos referimos à Trindade como santa, mas nada relaciona a nenhuma igreja, até porque a doutrina da Trindade é da Bíblia e não de alguma igreja, como muitos dizem.
      Muito interessante esta questão abordada por você, gostaríamos de saber a sua opinião a respeito, conte sempre conosco, que Deus abençoe muito a sua vida, um grande abraço.

  • Elisandro Gomes Cabangage disse:

    Dá pra tirar muito bem as duvidas.

  • Elisandro Gomes Cabangage disse:

    Dá pra tirar as duvidas.

  • Erick disse:

    Rs A igreja catolica ja tinha definido isso ha muito tempo. OBS: VCS protestantes so acreditam no que esta escrito na bíblia, pq estão acreditando em coisas sem evidencia na biblia????

    • Instrutor disse:

      Veja querido irmão e amigo, a Trindade é questionada por alguns porque a palavra Trindade não se encontra na Bíblia, porém ela está revelada.
      Alguns, por exemplo, falam que o Espírito Santo é uma energia, outros dizem que é um anjo, veremos o que a Bíblia nos revela com relação a Trindade.
      A Bíblia nos revela que há um só Deus, Pai, Filho e Espírito Santo.
      Em Mateus 3:16,17, no batismo de Jesus é citado o Deus Pai, Jesus no batismo e o Espírito Santo em forma de pomba, os três estavam presentes.
      Em Mateus 28:19,20, diz pra batizar em nome do Pai, Filho e Espírito Santo e em mais de 60 versículos mostram da mesma forma, esclarecendo que há mais de uma pessoa.
      Na criação tem 3 textos que mostram a mesma coisa:
      Gênesis 1:26- “Façamos o homem à nossa imagem …”
      Gênesis 3:22- “ Eis que o homem é como um de nós …”
      Gênesis 11:6,7- “ Eia desçamos …”
      Leia os textos para melhor compreensão, mas veja que foi mais de uma pessoa.
      Geralmente quando há diferença entre 3 pessoas numa empresa ,por exemplo, o nome do que tem maior cargo sempre aparece primeiro, na Trindade isso não acontece, mostram os nomes nem sempre na mesma ordem o que deixa claro que Eles estão no mesmo nível, leia os textos:
      II Coríntios 13:13; I Pedro 1:2; Judas 20 e 21.
      Três textos falam com relação ao nosso corpo veja:
      I Coríntios 3:16- o corpo é o templo de Deus.
      I Coríntios 6:19- templo do Espírito Santo.
      Gálatas 2:20- morada de Cristo.
      Veja alguns textos que nos mostra quem nos dará a vida eterna.
      I João 5:11- Pai
      Gálatas 6:8- Espírito Santo
      João 10:28- Jesus.
      São três pessoas, não tem como contestar, mas alguns ainda dizem que Jesus não é Deus, mas veja o que o próprio Deus disse de Jesus em Hebreus 1:8:
      “Mas, do Filho, diz: O Deus, o teu trono subsiste pelos séculos dos séculos; Cetro de eqüidade é o cetro do teu reino.”
      A Pessoa do Espírito Santo
      Saiamos em busca da terceira pessoa. Há uma terceira pessoa identificada como o Espírito Santo e que também se chama Jeová (Deus).
      Em Atos 5, há um texto interessante que nos passa por alto quando lemos apressadamente. Temos ali a história de Ananias e Safira.
      Nos versos 3 e 4, lê-se: “Disse então Pedro: Ananias, por que encheu Satanás o teu coração para que mentisses ao Espírito Santo e retivesses parte do preço da verdade? Não mentiste aos homens, mas a Deus.”
      Quem é esse Espírito Santo? A resposta está no verso 4: “Não mentiste aos homens, mas a Deus.”
      Duas coisas: Pedro apresenta (verso 3) o Espírito Santo como uma pessoa e, no verso 4, reconhece que essa pessoa é Deus (Jeová).
      O capítulo 13:1 e 2 de Atos tem mais detalhes. Ali nos diz que o Espírito Santo falou: “Apartai-me a Barnabé e a Saulo para a obra que os tenho chamado”.
      Notemos que o Espírito Santo fala e faz um chamado especial (para serviço) sem qualquer intermediário. Ele fala, decide, escolhe, separa (chama) a quem Ele deseja.
      Conclusão: há três pessoas que são chamadas igualmente de Deus ou Jeová.

      Alguns dizem que o Espírito Santo é uma energia mas vejamos na Palavra de Deus quais as características do Espírito Santo:
      Salmo 104:30- Criador;
      Salmo 139:7 a 10- onipresente, está em todos os lugares.
      Salmo 139- onipotente.
      I Coríntios 2:10- onisciente.
      João 14:26-consolador, ensinará todas as coisas.
      João 16:8,13- convencerá do pecado e guiará até a verdade.
      Hebreus 9:14- eterno
      Todos estes atributos são de Deus, logo Espírito Santo também é Deus.
      Na hora do juízo em Apocalipse 7:17 diz que o Cordeiro, Jesus, está no meio do trono, logo tem uma pessoa de cada lado.
      Vimos então que desde a criação até o juízo, Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo estão conosco.
      Aguardamos seu retorno e opinião, conte sempre conosco, um grande abraço.

  • lucileno batista de souza disse:

    pq os pioneiros da iasd não eram trinitarianos, sendo q a iasd passou a crer na trindade a partir de 1980?

    • Instrutor disse:

      Muito interessante a sua pergunta querido irmão e ficamos muito felizes por poder comentar sobre este assunto.
      É importante salientarmos que em 1931, a Doutrina da Trindade foi inserida nos Year Books de forma oficial, por decisão de apenas 4 administradores da Conferencia Geral (M. E. Kern, Secretário Associado da CG; F. M. Wilcox, Editor da Review; E. R. Palmer, Administrador da Review and Herald e C.H. Watson, Presidente da Conferência Geral ‐ A Trindade, pág. 227), vindo a tornar‐se Doutrina oficial da IASD somente no ano de 1980, ou seja, 65 nos após a morte de Ellen White.
      Os líderes inicialmente rejeitaram a doutrina tradicional da Trindade, que contém elementos não bíblicos. À medida que prosseguiram trabalhando com base nas Escrituras, periodica‐ mente desafiados e estimulados pelo Espírito Santo através das visões de Ellen White, gradualmente convenceram‐se de que o conceito básico de um Deus em três Pessoas de fato aparece nas Escrituras.
      Entretanto, se a Igreja primitiva levou 5 séculos para desenvolver um esboço aproximado da realidade divina, ainda tateando para achar a Verdade, por que os adventistas não deviam gastar pelo menos 100 ou 150 anos para ter a verdade mais completa, humanamente falando, não é mesmo?
      Estaremos aguardando seu retorno e opinião que é muito importante para todos nós, que Deus abençoe muito você, um grande abraço.

Comente este artigo

Comente este artigo


Current ye@r *