biblia.com.br

Quando vem a hora difícil, o que fazer?

23 de novembro de 2012

Quando nossos sentimentos nos levam à tristeza e ao acabrunhamento, apeguemo-nos mais e mais à fé, que não depende das coisas aparentes, mas de uma plena entrega de nossa vida Aquele que tudo pode, que tudo vê, e que prometeu estar sempre conosco, não importam as circunstâncias fora ou dentro de nós.

Pr. Tércio Sarli

Quando momentos difíceis aparecem em nossa vida e não enxergamos uma solução, somos desafiados a olhar além das circunstâncias, para um Deus que nos ama e deseja nos abençoar.

Então, o que fazer nessas horas?

Em primeiro  lugar lembrar que essas horas passam, como passam as nuvens negras de uma tempestade. Acima das nuvens continua brilhando o Sol, firme, inalterável. Acima de nossas aflições, de nossas escuras horas de prova, Deus continua firme, eterno, em Seu infinito amor para conosco. Não nos esqueçamos de que as agruras, as vicissitudes, têm também um lado positivo: podem nos despojar de nossa presunção e vaidade, e levar-nos a compreender melhor nossa inteira dependência de Deus. Em meio ao fogo das provações, as impurezas de nosso caráter podem estar sendo queimadas e extirpadas.

Quando nossos sentimentos nos levam à tristeza e ao acabrunhamento, apeguemo-nos mais e mais à fé, que não depende das coisas aparentes, mas de uma plena entrega de nossa vida Aquele que tudo pode, que tudo vê, e que prometeu estar sempre conosco, não importam as circunstâncias fora ou dentro de nós. Davi, ao passar pela hora mais escura de sua vida, escreveu as encorajadoras palavras do Salmo 130, chamado pelos comentaristas o “De Profundis” do salmista, pois é assim que ele inicia sua oração: “Das profundezas clamo a Ti, Senhor” (v. 1). Nesse salmo Davi revela o segredo de não desistir em meio aos mais cruéis sofrimentos morais e espirituais.

Ele vislumbrou a benignidade divina: “Se observares, Senhor, iniquidades, quem, Senhor, subsistirá?” (v. 3). E então mostra a razão de sua fé: “Contigo, porém, está o perdão, para que Te temam” (v. 4). E ao final ele deixa este brado de encorajamento a todos os que passam por semelhante experiência de aflição e abatimento: “Espere Israel no Senhor, pois no Senhor há misericórdia, nEle, copiosa redenção” (v. 7). Aleluia!

Equipe Biblia.com.br

É correto comemorar o natal?
O AntiCristo