biblia.com.br

Por que sofremos se Jesus carregou nossas dores?

13 de novembro de 2012

O verso de Isaías não é em si uma garantia de Deus de que no mundo não mais existiriam as doenças ou a morte (Romanos 6:23) pelo fato de Jesus ter vindo e morrido por nós na cruz. A expressão “tomou sobre si as nossas enfermidades” refere-se ao ato de Jesus curar as pessoas após Sua primeira vinda.

Esta é uma pergunta com a qual nos deparamos muito cedo na vida: “Por que sofremos?” O cristão também pode questionar: “Se Cristo carregou sobre si as nossas enfermidades, então por que ficamos doentes?” “Se Ele carregou as nossas dores, por que sofremos?”
Vejamos os textos:

“Certamente, ele tomou sobre si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre si; e nós o reputávamos por aflito, ferido de Deus e oprimido.  Mas ele foi traspassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniqüidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre ele, e pelas suas pisaduras fomos sarados” (Isaías 53:4-5).

Como harmonizar isto com o fato de existirem doenças hoje? Este verso deve ser entendido à luz da própria Bíblia. O primeiro sentido desse texto é que o Messias suportaria as consequências de nosso pecado (enfermidades e dores), bem como o pecado em si (transgressões e iniquidades). Seu sofrimento por nós trouxe cura. Tudo isso é obra de Deus.

Mateus cita esse texto de Isaías no seguinte contexto:

“Chegada a tarde, trouxeram-lhe muitos endemoninhados; e ele meramente com a palavra expeliu os espíritos e curou todos os que estavam doentes, para que se cumprisse o que fora dito por intermédio do profeta Isaías: Ele mesmo tomou as nossas enfermidades e carregou com as nossas doenças” (Mateus 8:16-17).

Podemos perceber que o verso de Isaías não é em si uma garantia de Deus de que no mundo não mais existiriam as doenças ou a morte (Romanos 6:23) pelo fato de Jesus ter vindo e morrido por nós na cruz. A expressão “tomou sobre si as nossas enfermidades” demonstra que em Sua humanidade Ele era capaz de expressar simpatia e realmente sentir o que sentimos e se compadecer de nós. Os textos também aludem ao irrompimento do reino de Deus, à obra que o Messias prometido faria à Israel, referindo-se ao ato de Jesus curar as pessoas. Jesus suportou as nossas dores e também curou muitas enfermidades. Cada cura revelava que o reino Messiânico havia sido inaugurado e apontava para o dia, na consumação dos séculos, quando o mal será erradicado de uma vez por todas.

Aplicando o texto à nossa vida, podemos dizer que Jesus tomou sobre si as nossas enfermidades no sentido de que Ele suportou a dor e o sofrimento da morte em nosso lugar para nos dar vida eterna. Também podemos aplicar ao fato de Cristo curar as nossas enfermidades (toda vez que somos curados de uma doença é Jesus quem o faz). A doença e a morte são efeitos do pecado. Esses efeitos permanecerão até o dia que Jesus voltar, pois em Sua volta Ele irá cumprir outra etapa da salvação: a aniquilação de todo mal. Os anjos precisam ver os resultados do pecado para que todos tenham evidência de que o mal não presta e assim todo o universo estará seguro para sempre (Naum 1:9, segunda parte).

A morte de Cristo na cruz não nos livra da morte neste mundo, mas sim da morte eterna, aquela em que não haverá mais ressurreição: “e todo o que vive e crê em mim não morrerá, eternamente. Crês isto?” (João 11:26). Vale a pena confiar em Jesus Cristo; Ele prometeu que um dia nos levará com Ele para o céu, onde não haverá mais morte ou doença (João 14:1-3; Apocalipse 21:4).

Equipe Biblia.com.br

Para testemunhar precisamos amar as pessoas
Use a Bíblia e seja feliz!