biblia.com.br

Por que os bons sofrem?

11 de abril de 2012

Alguém perguntou: "Por que as pessoas que mais creem em Deus são as que mais sofrem, sendo que a Bíblia prediz que quem crê em Deus não sofrerá?"

A verdade é que todos sofrem, pois nenhum ser humano passou a sua existência sem ter experimentado a dor do sofrimento. O pecado atingiu proporções muito sérias e suas consequências sobrevêm aos maus e bons, pois “todos pecaram e carecem da glória de Deus” (Romanos 3:23). Na verdade, Deus não prometeu livrar-nos do sofrimento, mas sim de que estaria ao nosso lado em meios às tempestades da vida: “Muitas são as aflições do justo, mas o SENHOR de todas o livra” (Salmo 34:19). “Estas coisas vos tenho dito para que tenhais paz em mim. No mundo, passais por aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo” (João 16:33). “Porque assim diz o Alto, o Sublime, que habita a eternidade, o qual tem o nome de Santo: Habito no alto e santo lugar, mas habito também com o contrito e abatido de espírito, para vivificar o espírito dos abatidos e vivificar o coração dos contritos” (Isaías 57:15).

O conselho bíblico é de que suportemos as aflições: “Tu, porém, sê sóbrio em todas as coisas, suporta as aflições…” (2 Timóteo 4:5) na certeza de que em Deus, Aquele que nos fortalece, podemos todas as coisas (Filipenses 4:13). Os que creem em Deus são alvos especiais dos ataques de Satanás, pois ele não irá perder tempo em ir atrás de alguém que já lhe pertence, mas nem sempre os crentes são os que mais sofrem. Não devemos fazer tal afirmação (de que os que creem em Deus sofrem mais), pois seria o mesmo que dizer: nada há de vantagem em seguir a Jesus.

Se analisarmos a vida de um ímpio e a de um justo, veremos que na verdade os ímpios sofrem mais, pois eles não têm esperança como os que creem em Jesus e em Suas maravilhosas promessas. Uma esperança oriunda de crenças contrárias à Palavra de Deus não trás paz ao coração e muitos chegam a viver em completo estado de medo e desespero. A Palavra de Deus revela a nossa condição de pecadores, e que apartados de Deus, estamos em completa perdição e sem esperança. Porém, o Espírito Santo opera em nossa mente de um modo muito especial, mediante as Escrituras Sagradas, e nos conduz à Cristo, o único que pode resolver o problema da culpa e do pecado. Ao nos voltarmos para Deus com fé no sacrifício substitutivo de Cristo, em arrependimento e confissão, somos perdoados e Jesus nos cobre com Sua justiça; somos adotados na família de Deus como filhos (João 1:12) e não precisamos mais ter medo (1 João 4:18), pois somos filhos do Rei do universo e aguardamos a bendita volta de Jesus em majestade, poder e glória para buscar os remidos. Que maravilhosa esperança!

É claro que certamente passaremos por aflições, pois vivemos em um mundo que foi degradado pelo pecado, e as consequências do mal atingem todas as pessoas. Mas não precisamos viver com medo, insegurança, incerteza ou em desespero. Temos esperança de vida eterna. Jesus morreu como “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (João 1:29); Ele venceu as barreiras da morte e ressuscitou. Ao ascender ao Céu foi prometido aos discípulos que Ele voltaria do mesmo modo como subira ao Céu (ver Atos 1:11). Ele mesmo prometeu várias vezes que irá voltar: “virei outra vez” (João 14:3); “Eis que venho sem demora, e comigo está o galardão que tenho para retribuir a cada um segundo as suas obras” (Apocalipse 22:12; cf. v. 20). Ao retornar pela segunda vez a Bíblia diz que Ele dará a voz de comando e aqueles que morreram tendo fé no Salvador ressuscitarão incorruptíveis e imortais (1 Tessalonicenses 4:16; 1 Coríntios 15:52), e nós, os vivos salvos, seremos transformados num abrir e fechar de olhos; nosso corpo mortal e corruptível será revestido de imortalidade e incorruptibilidade (1 Tessalonicenses 4:17; 1 Coríntios 15:52, 53). Portanto, devemos ter fé em Deus e em Sua Palavra. Mesmo que o nosso corpo se corrompa pelo envelhecimento ou enfermidade, podemos confiar em Deus, como escreveu Paulo:

“Por isso, não desanimamos; pelo contrário, mesmo que o nosso homem exterior se corrompa, contudo, o nosso homem interior se renova de dia em dia. Porque a nossa leve e momentânea tribulação produz para nós eterno peso de glória, acima de toda comparação, não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas” (2 Coríntios 4:16-18).

Diante do sofrimento a pergunta a ser feita com sinceridade é: “onde está o meu foco?” Se está em Deus e em Sua Palavra, receberemos o divino conforto, paz e esperança que procedem de Deus e da compreensão da verdade por Ele revelada.

Agora pensemos nos ímpios, nos que não têm esperança alguma acerca da salvação e vida eterna por meio de Cristo. A vida pode parecer-lhes sombria, sem significado ou propósito, pois não conseguem “ver” nada além da sepultura. Alguns espiritualistas conjecturam que a morte é uma porta que se abre para uma nova realidade de existência, onde não há a “prisão do corpo”. Seguindo esse pensamento, crê-se em almas desencarnadas ou espíritos, como entidades conscientes e incorpóreas. Outros acreditam em reencarnação, transmigração da alma, etc. Tal compreensão não corresponde com a verdade revelada por Deus em Sua Palavra e produz uma falsa esperança que, na verdade, causa dor e desilusão. Para saber mais sobre o que a Bíblia diz a respeito desse tema, faça o curso Bíblico oferecido na página inicial desse site: O Espiritismo. Todos os cursos são gratuitos.

Sendo assim, concluímos que todas as pessoas passam por lutas, dor e sofrimento. O justo pode sofrer injustiça, opressão e perseguição, mas nada poderá roubar-lhe a paz, a esperança e a liberdade que só Deus pode dar. Ele pode estar seguro de que Deus é justo e que um dia todos terão que comparecer perante o “tribunal de Cristo” (2 Coríntios 5:10), porque “Deus há de trazer a juízo todas as obras, até as que estão escondidas, quer sejam boas, quer sejam más” (Eclesiastes 12:14). Por outro lado o injusto, o opressor e o perseguidor podem, em certos casos, ter aparentes vantagens materiais, mas nada disso poderá trazer-lhes esperança para a inquietude furiosa do coração. Ao enfrentar o sofrimento, o que crê em Deus e tem fé em Sua Palavra pode se apegar a Ele. A Bíblia O apresenta como Criador, Mantenedor, Redentor e Recriador. Ele é Todo-poderoso, Onisciente e Onipresente. A fé fundamentada na verdade da Palavra de Deus traz conforto e esperança. Porém, aquele que não tem fé em Deus e em Sua Palavra, não tem a quem recorrer na hora da aflição. Por isso, nossa fé deve estar centrada em Deus, pois Ele prometeu que um dia todo o sofrimento terminará:

“E lhes enxugará dos olhos toda lágrima, e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor, porque as primeiras coisas passaram. E aquele que está assentado no trono disse: Eis que faço novas todas as coisas. E acrescentou: Escreve, porque estas palavras são fiéis e verdadeiras” (Apocalipse 21:4 e 5).

Equipe Biblia.com.br

Como organizar uma vigília
O que a Bíblia diz sobre rejeição?