Diretório de artigos

Pesquise por termo ou palavra chave

a b c d e f g h i j l m n o p q r s t u v x z

Será possivel que João 20:23 quer dizer que os discípulos podiam perdoar pecados?

Marcos 2:7 deixa claro que os próprios judeus, que ainda se achavam sob o sistema sacrificial, sabiam muito bem que só Deus pode perdoar pecados. O que eles não reconheciam, porém, é que Jesus também era Deus, tendo, portanto, essa prerrogativa. Sob o sistema cerimonial, o sacerdote presidia a confissão das pessoas, mas não proferia palavras de perdão.

Em João 20:23, Jesus fala aos discípulos como representantes de Sua igreja sobre a Terra, à qual, agindo na qualidade de corporação, confiou a responsabilidade de cuidar dos interesses e necessidades de seus membros individuais. A igreja deve esforçar-se fielmente pela restauração de seus membros errantes, incentivando-os a arrepender-se e afastar-se dos maus caminhos. Havendo evidência de que as coisas foram endireitadas com Deus e o homem, a igreja deve aceitar o arrependimento como genuíno, libertar o errante das acusações suscitadas contra ele e reintegrá-lo em plena comunhão.
Semelhante remissão de pecados é ratificada no Céu; com efeito, Deus já aceitou e perdoou a pessoa arrependida. As Escrituras, entretanto, ensinam claramente que a confissão do pecado e o arrependimento devem ser feitos diretamente ao trono da graça no Céu (Atos 20:21; I João 1:9), e que a libertação da alma no tocante ao pecado advém unicamente através dos méritos de Cristo e Sua mediação pessoal (I João 2:1).
Deus jamais confiou essa prerrogativa a mortais errantes que, freqüentemente, necessitam de divina misericórdia e graça, mesmo que sejam os dirigentes estabelecidos na igreja.

Comentarios

Este artigo teve "8 Comentários"

  • Thaciani De Oliveira Silva disse:

    Cuidado com os filmes bíblicos muitos não falam toda a verdade e sim igual ao diabo 99% da verdade e o 1% que falta é o que te prejudica :\
    não discutem a palavra de Deus, é pecado e todo cristão sabe disso!!

  • Ananito Vicente Andrade disse:

    Irmãos Católicos. Infelizmente embora acreditamos veemente o que diz a citação de Mt 16, 18, onde Jesus confia a missão a Pedro, fiel coluna de nossa Igreja, não vale a pena às vezes de discutirmos o valor da tão grande coluna com certas “forças do inferno” que tentam prevalecer sobre a nossa igreja. Temos a imensa certeza que elas não prevalecerão, mas nos ocasionarão grande infortúnios. Com certeza, os nossos chefes passados “coitados” devem já está pagando os erros ao dirigir nossa igreja, mas nossa missão é perdoá-los e não ficarmos por aí, criando igrejas e mais igrejas baseado nas vãs interpretações e perseguindo a Igreja de Cristo. Por mim eu digo, pode ser o padre mais pecador, mas acredito na sua absolvição pois foi ungido de Cristo e se o mesmo erra, ele prestará contas é ao Próprio Cristo.

  • Gente,o que está acontecendo? DESPERTA!!! Quer dizer que Jesus não tem Poder? Alguns dos irmãos aquiu entre nós estão dizendo e afirmando que o que Ele disse, tem menos importância ou autoridade que em Atos, em Marcos, seja lá onde for, Jesus foi CLARO explícito e direto, tanto em Mateus 16:18, quanto em Jo 20:23, quanto em tudo que disse e quanto a isso não se deve nem conjecturar… É a mesmíssima coisa que duvidar… É isso que dá beber da bica e não da Fonte Autorizada por Jesus… Cada “novo doutor da lei” acha que o Espírito Santo desce toda hora para ajudar a “interpretar” a “Palavra”… Arrogância!!! Quem tem o mínimo de estudo geral (do antigo ao novo testamento) sabe que isto é ofensa à Palavra de Deus e Sua autoridade. Foi Ele que deu esta mesma Autoridade aos apóstolos, quem somos nós para argumentar, quem? Vai orar e se penitenciar, “…certas espécies de demônios (arrogância e presunção) só se expulsa com jejum e oração. Ou vão dizer também que sem sacrifício tem salvação? O sacrifício de admitir o erro é que faz descer as escamas da cegueira que perseguia os primeiros cristãos… Não foi o que aconteceu com Saulo? Prestemos mais atenção, estudemos mais e peçamos ao Altíssimo o dom da humildade,assim como Papa Francisco está fazendo, redemonstrando a verdadeira face da Igreja de Cristo, não aquela medieval, governada por reis e papas ilegítimos empossados pelos reis… É só estudar, só estudar… PAXI VOBIS

  • Marcos Donizétti Tavares disse:

    Falar sobre o Evangelho de Jesus Cristo, sem conhecer o velho testamento, e sobre o povo Judeu é complicado, e sem saber a história das Igrejas Cristãs primitivas, formação do Catolicismo, sobre seus dogmas, regras, tradições, é quase impossível, desde 325 d.C, quando da formação do Catolicismo, que esse segmento deixou de ser uma autentica Igreja Cristã.
    Que o Senhor abençoe a todos.

  • Os apóstolos são embaixadores de Jesus-Cristo,eleitos e enviados por Deus com um proposito muito claro;levar a salvação perante dos homens,eles administram a salvação por ordem de Cristo,são seus representantes direitos na terra com faculdades especiais para beneficio dos homens;hoje es preciso que exista o ministerio apostólico,ministerio da reconciliação
    convido a todos voçes a conhecer mais um poco sobre este tema de suma importancia.

  • Elaine Gamba disse:

    Hoje assisti a um programa na tv novo tempo, onde num determinado momento, se referirão ao catolicismo como um sistema falso no que se refere ao perdão dos pecados. Gostaria apenas de lembrar e esclarecer que não é a igreja que perdoa os pecados e nem os sacerdotes, estes apenas se colocam como referência a Cristo, quando nos colocamos diante deles para confessarmos nossos pecados, na verdade é para Cristo que confessamos, o padre quando dá o perdão ele não diz eu te perdoo, você está perdoado, mas ele diz: Eu o perdoo, em nome do Pai, dom Filho e do Espírito Santo, amém, ou seja ele o faz em nome da Trindade e não por si mesmo. Nas passagens bíblicas Jesus concede poder aos seus apóstolos, ” tudo que ligares na terra será ligado no céu, e tudo que desligares na terra será desligado no céu”, e ainda, ” aqueles a quem perdoardes os pecados ser-lhe-ão perdoados, aqueles a quem os retiverdes, ser-lhe-ão retidos. É Jesus quem perdoa os pecados Ele é o nosso único Salvador e Senhor que pode todas as coisas, mas mesmo podendo tudo, quer agir por meio de nós, quer que nos deixemos usar por Ele. O sacerdote é apenas um instrumento usado por Deus, pois é somente Ele quem realiza todas as graças. Penso que é importante conhecer a fundo as outras manifestações de fé antes de julga-las para não correr o risco de se estar levantando um falso testemunho. Julgar já não convém, imagina fazer isso injustamente. Falo por mim pelo que vivo e conheço da minha igreja Católica Apostólica Romana, igreja santa pela sua instituição(Cristo), mas pecadora, porque é constituída por homens. Agradeço a vocês por permitirem nossa manifestação aqui, fiquem com Deus!

    • André disse:

      Querida irmã,
      Creio que o objetivo não foi ofender os irmãos sinceros que frequentam outras religiões, pelo contrário. Segundo o que a palavra de Deus somente Jesus é capaz de perdoar nossos pecados, somente Ele nos dá forças para vencer o mal.
      Em que sentido Cristo concedeu autoridade aos discípulos para perdoarem pecados (João 20:23)?
      Em João 20:21-23, Cristo concedeu, após Sua ressurreição, uma capacitação especial de poder do Espírito Santo aos Seus discípulos, capacitação esta que lhes permitiria tanto perdoar pecados quanto reter o perdão. Este texto, bem como os de Mateus 16:19 e 18:18 e 19, tem sido usado por muitos para justificar a busca do perdão divino através da confissão a sacerdotes e líderes religiosos. Mas as Escrituras, no seu consenso, não reduzem o perdão divino a esse tipo de prática eclesiástica.
      A Bíblia ensina, em primeiro lugar, que Deus é quem perdoa os pecados (conforme Isaías 43:25; Jeremias 31:34; comparar com Marcos 2:7 e Lucas 5:21). Esse perdão deve ser buscado diretamente dEle por meio de Cristo (João 14:6, 13 e 14; 1 Timóteo 2:5). Em Mateus 6:9-13, Cristo ensinou os discípulos a orarem diretamente ao “Pai” em busca de perdão para as suas “dívidas”. Em 1 João 2:1 e 2, é dito que podemos obter o perdão para os pecados se buscarmos o único “Advogado junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo”, que “é a propiciação pelos nossos pecados e não somente pelos nossos próprios, mas ainda pelos do mundo inteiro”.
      Somos admoestados também de que as faltas contra outras pessoas devem ser confessadas e restituídas, se necessário, diretamente a elas. Na oração do Senhor aparecem as seguintes palavras: “E perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós temos perdoado aos nossos devedores” (Mateus 6:12). As implicações desta afirmação são enfatizadas por Cristo: “Porque, se perdoardes aos homens as suas ofensas, também vosso Pai celeste vos perdoará; se, porém, não perdoardes aos homens [as suas ofensas], tampouco vosso Pai vos perdoará as vossas ofensas” (Mateus 6:14 e 15; Colossenses 3:13).
      A alusão à autoridade para perdoar e recusar-se a perdoar pecados em João 20:23 é parte da versão da Grande Comissão evangélica encontrada nos versos 21-23, que, por sua vez, está diretamente relacionada com os demais textos que falam dessa mesma comissão (ver Mateus 28:18-20; Marcos 16:15-18; Lucas 24:46-49; Atos 1:5-8). Sobre a passagem de João 20:19-23, o comentarista Raymond E. Brown vê um claro paralelo entre a simples ordem para batizar (Mateus 28:19) e a previsão de como o batismo separaria as pessoas (Marcos 16:16), bem como entre a simples proclamação do perdão (Lucas 24:47) e a previsão das formas nas quais o poder do perdão separaria as pessoas (Jo 20:23).
      Cristo concedeu à Igreja, como comunidade dos crentes, a obrigação de receber como membros dela a todos que demonstrarem, por sua conduta, a genuinidade do seu arrependimento. Deu também autoridade de afastar de sua comunhão a todos aqueles cuja conduta representasse uma clara negação da fé. Aceitando uns e rejeitando outros, apoiada nos critérios bíblicos, a Igreja exerce a autoridade de perdoar pecados e reter pecados. É, portanto, com base no princípio de que “pelos seus frutos os conhecereis” (ver Mateus 7:15-23) que os discípulos de Cristo poderiam reconhecer os penitentes, como perdoados por Deus e, conseqüentemente, também por Sua igreja, e os impenitentes, como não havendo sido perdoados.

  • Fabricio disse:

    todos nós sem exceção somos pecadores, carecemos do perdão de Deus todos os dias, pois todos os dias pecamos, por ação, por pensamento , entre outros,
    então como descrito acima só Deus e jesus perdoa nossos pecados.
    então devemos nos confessamos somente ao nosso Pais celestial

Comente este artigo

Comente este artigo



Fale Conosco

Envie suas sugestões ou solicite informações