biblia.com.br

O pecado original foi a relação sexual?

11 de abril de 2012

O pecado original não foi o sexo, pois este havia sido criado por Deus para ser uma bênção.

Ao serem criados, Adão e Eva eram perfeitos. Em decorrência da desobediência, por terem se afastado de Deus, o pecado foi introduzido por nossos primeiros pais. Biblicamente, “pecado é a transgressão da lei” (1 João 3:4). Qualquer tipo de desobediência a Deus é pecado.

O pecado foi a desobediência; a essência do mesmo é o querer colocar-se no lugar de Deus, desconfiar de Seu amor, bondade e justiça. Lúcifer fez isso (Isaías 14:12-14; Ezequiel 28:13-17) e Eva também o fez (Gênesis 3). Em consequência da desobediência a Deus, (1) o ser humano foi afastado da presença dEle; (2) perdeu o acesso à árvore da vida; (3) tornou-se mortal; (4) trouxe a miséria e o sofrimento a todo o planeta (Gênesis 3; Romanos 5:12; 8:20-23).

Porém, quando Deus criou este planeta e toda a vida na Terra, qual foi a Sua avaliação quanto às Suas obras? Ao término da criação, no sexto dia da semana, Deus contemplou Sua obra, conforme registrado em Gênesis: “Viu Deus tudo quanto fizera, e eis que era muito bom. Houve tarde e manhã, o sexto dia” (Gênesis 1:31). Na avaliação divina sobre tudo o que Ele havia criado, eis que tudo era “muito bom”, inclusive a intimidade sexual que Ele havia criado para abençoar o casamento e a humanidade. Note bem, no sexto dia Deus criou o homem e a mulher. Criou a sexualidade deles também. Tudo o que Ele criou era muito bom. Portanto, o pecado original não foi o sexo, pois este havia sido criado por Deus para ser uma bênção, para a procriação da raça humana, união espiritual e física entre o santo casal, deleite e alegria.

Infelizmente o casamento, a sexualidade e o sexo foram pervertidos pelo pecado. Na sociedade contemporânea existem vários modelos de casamento e família, mas segundo a Bíblia o casamento é uma união heterossexual, monogâmica e vitalícia (ver Gênesis 1:26, 27; 2:18, 21-25; Mateus 19:4-6). O erguimento da sociedade não se dará através da banalização do casamento, família, educação ou liberdade de orientação sexual. Ao contrário disso, tal erguimento só pode ocorrer através do Evangelho de Jesus Cristo, pois este tem poder para salvar e transformar vidas: “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego” (Romanos 1:16).

Ao voltar-se para Deus e Sua vontade revelada nas páginas da Bíblia Sagrada, com coração humilde e sincero, e desejo íntimo de aprender os caminhos de Deus, o Espírito Santo faz uma obra misteriosa: a mente humana é colocada em sintonia com a mente divina, a vontade pessoal é alinhada à vontade de Deus. Tal comunhão proporcionará uma feliz experiência de crescimento espiritual e santificação em todas as áreas da vida, inclusive a sexual: “O mesmo Deus da paz vos santifique em tudo; e o vosso espírito, alma e corpo sejam conservados íntegros e irrepreensíveis na vinda de nosso Senhor Jesus Cristo” (1 Tessalonicenses 5:23).

Equipe Biblia.com.br

O que a Bíblia diz sobre a religião?
O que preciso saber sobre o adultério (parte 2)