Diretório de artigos

Pesquise por termo ou palavra chave

a b c d f g h i j l m n o p q r s t u v x z

O que é uma seita? Quais as características pelas quais posso identificar uma? Por que muitas religiões protestantes consideram a Igreja Adventista como uma seita? CD

Olá amiga,

Ao lhe escrever meu desejo é que você se fortaleça cada vez mais na palavra de Deus.

Se formos analisar a origem etimológica da palavra seita, encontraremos, no grego, o termo “Hairesis” que significa facção, partido, escolha, preferência, etc.

Pesquisando o significado da expressão seita na maioria dos dicionários ( inclusive dicionários bíblicos ), veremos conceitos como os descritos abaixo… veja:

Seita:
• Doutrina que se afasta da opinião geral
• Grupo religioso que se separa de um corpo maior
• Conjunto dos indivíduos que a seguem
• Comunidade fechada, de cunho radical
• Facção, partido

Como vemos nestas definições, as principais características de uma seita são a divergência ideológica e o isolamento.

Algumas passagens bíblicas também se referem à seitas com sentido pejorativo:

“Levantando-se o sumo sacerdote e todos os que estavam com ele (isto é, a seita dos saduceus), encheram-se de inveja,” Atos 5:17

“Mas alguns da seita dos fariseus, que tinham crido, levantaram-se dizendo que era necessário circuncidá-los e mandar-lhes observar a lei de Moisés.” Atos 15:5

“No entanto bem quiséramos ouvir de ti o que pensas; porque, quanto a esta seita, notório nos é que em toda parte é impugnada.” Atos 28:22

No sentido ruim do termo, seita é todo o movimento que não aceita toda a Bíblia (e suas principais doutrinas, mencionadas acima) como regra de fé e não aceita a Jesus como Salvador e Deus.
Veja algumas características de uma seita:
1. Substitui a Jesus por um líder humano ou nega a divindade Dele;
2. Substitui a Bíblia pelas tradições humanas ou por crenças consideradas heresias na Bíblia;
3. Usa da coerção para fazer com que seus seguidores sigam suas opiniões, bloqueando assim liberdade de escolha destes.

Concluímos que seita, no que diz respeito à igreja refere-se à uma comunidade religiosa fechada, que não usa princípios bíblicos e sim estabelece suas próprias doutrinas heréticas, ou seja, contrárias às sagradas escrituras.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia ( IASD ) é uma seita?

Muitos evangélicos acusam a IASD de ser uma seita herética, por defender alguns princípios bíblicos que contrariam as doutrinas da maioria das igrejas, como por exemplo a guarda do sábado e a mortalidade da alma.

Não estarei aqui defendendo extensamente estas doutrinas mas apenas mencionarei brevemente que os Adventistas observam o Sábado como uma expressão de amor ao Criador. Jesus disse:”Se me amais guardareis os meus mandamentos”. João 14:15

Quanto ao estado dos mortos, os Adventistas crêem no que Jesus disse a respeito de Lázaro: “meu amigo dorme, mas vou despertá-lo do sono”, sendo que estava se referindo à morte como um sono. Isto é, os que morrem não vão para lugar nenhum. Permanecem na sepultura aguardando a segunda vinda de Jesus a este mundo para despertá-los do sono da morte para a vida eterna.

No que diz respeito a ser uma comunidade “fechada”, a IASD em nada se assemelha a uma seita. Pois é uma igreja aberta à todas as pessoas, de todas as religiões, e têm seus princípios doutrinários transparentes, abertos à quaisquer esclarecimentos e fundamentados unicamente na bíblia. Basta visitar uma IASD e conferir.
Ou seja, neste ponto, pode-se dizer que a IASD se iguala à maioria das igrejas evangélicas que conhecemos hoje.

Quanto aos princípios doutrinários, sabemos que cada igreja têm seus próprios princípios e doutrinas (e todas dizem ser eles fundamentados na bíblia). Analisando sob esta ótica, a IASD também não difere das outras igrejas, pois têm um corpo doutrinário estabelecido. Por mais que as igrejas tenham algo em comum ( como por exemplo a guarda do domingo ), todas têm seus fundamentos doutrinários específicos, que caracterizam sua denominação religiosa.

Se você reparar bem verá que os Adventistas do Sétimo Dia são acusados de serem hereges porque seguem TODOS os mandamentos de Deus. Surpreendente, não? Deus escreve leis eternas e os que as seguem, por amor à Deus, são chamados de seita? Interessante…

Existem por aí estudos bíblicos específicos para condenação de algumas igrejas. Deste modo muitas pessoas são levadas a crer em tudo que lhe é exposto, sem nem “conferirem” se todos os comentários e “evidências históricas” apresentados são verídicos ou não.

É muito fácil acusar qualquer igreja de ser uma seita herética sem ter em mãos as devidas provas. Deste modo, qualquer escritor ou pastor cristão erudito e com boa capacidade de persuasão e eloquência pode facilmente levar pessoas (principalmente novos convertidos e pessoas de pouca cultura) a crerem em mentiras criadas com o fim de defender suas doutrinas.

A própria Bíblia nos adverte que nos últimos dias haveriam falsas doutrinas e falsos profetas que enganariam a muitos utilizando até mesmo a própria bíblia para tal. O próprio satanás utilizou do recurso de basear-se em versículos bíblicos isolando-os de seu contexto para tentar enganar a Jesus. Cristo com seu profundo conhecimento das escrituras, conseguiu combater o inimigo. Somente saberemos distinguir se as doutrinas de uma igreja são Cristãs ou não se formos diligentes estudantes da Bíblia.

Conclusão:
Temos que ter cuidado para não acreditar em tudo que nos é apresentado. Devemos procurar sempre analisar uma doutrina com muito cuidado e profundidade, principalmente no que diz respeito à questões fundamentais como a Lei Moral de Deus (os dez mandamentos). Nunca podemos analisar somente o primeiro ponto de vista que nos é apresentado e devemos, com sinceridade e humildade, atentar para o que a palavra de Deus nos adverte:

Colossenses 2:4, 8, 23

“Digo isto, para que ninguém vos engane com palavras persuasivas.”
“Tendo cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo”
“As quais têm, na verdade, alguma aparência de sabedoria em culto voluntário, humildade fingida, e severidade para com o corpo, mas não têm valor algum no combate contra a satisfação da carne.”

Mateus 7:15

“Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores.”

II Pedro Capítulo 3:16-17

“Como faz também em todas as suas epístolas, nelas falando acerca destas coisas, mas quais há pontos difíceis de entender, que os indoutos e inconstantes torcem, como o fazem também com as outras Escrituras, para sua própria perdição.
Vós, portanto, amados, sabendo isto de antemão, guardai-vos de que pelo engano dos homens perversos sejais juntamente arrebatados, e descaiais da vossa firmeza”

Para se acusar uma igreja de ser uma seita herética é preciso provar. Nunca podemos afirmar nada a respeito de NENHUMA denominação sem conhecê-la. Devemos saber se o que é efetivamente pregado e ensinado dentro de uma igreja corresponde realmente ao que ouvimos falar ou lemos por ai.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia está sempre à disposição para quaisquer esclarecimentos, tanto no que diz respeito à sua doutrina quanto à sua história e origem. E lembre-se: estes esclarecimentos estão abertos a qualquer pessoa, de qualquer denominação religiosa.

Que Deus lhe abençoe!

Comentarios

Este artigo teve "10 Comentários"

  • Daniel disse:

    Irmão Aluilson , nosso irmão Roberto descreveu genuinamente sobre seu questionamento, faltou apenas esclarecer sobre comidas que vc mencionou sobre o lençol de Pedro, vou tentar ajudar dando uma dica apenas, leia o capitulo 10 de Atos dos Apóstolos, mas leia o capitulo todo e vc verá o que realmente foi purificado. Boa leitura.

  • Rodrigo Moraes disse:

    Em momento algum Jesus fez menção aos “10 mandamentos”, ao contrário, fez saber apenas 2..(Mateus 22:37-40).
    Ao todo o antigo testamento possui 613 mandamentos e não 10.
    Então meu questionamento é, porque guardar o sábado e não cumprir os outros mandamentos 612 mandamentos a risca?

    • roberto disse:

      Muito interessante esta questão querido irmão RODRIGO, é muito fácil identificar inúmeras leis no Velho Testamento. Entretanto, há muitas indagações sobre o que ainda está ou não em vigor. Abaixo faremos uma distinção das leis contidas na Torá (ou livro da lei), mas é preciso salientar que o decálogo, ou os Dez Mandamentos, é a revelação moral da vontade de Deus e expressa princípios para a conduta moral e ética. Essa Lei se resume no mandamento do amor a Deus e ao próximo.

      1. Lei Moral: Os 10 Mandamentos (Êxodo 20:3-17) exprimem os princípios eternos do amor devido a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmo. Essa Lei não foi abolida, pois o amor é o eterno princípio dos 10 mandamentos e não foi abolido. Essas leis já existiam antes do Sinai, quando Deus entregou a Moisés as tábuas da Lei. Gênesis 2:1-2 revela a origem do sábado, dia em que Deus descansou, abençoou e o santificou. Outra evidência de que a Santa Lei de Deus existia antes do Sinai é o fato de Caim matar Abel, violando a lei do amor ao próximo, que se enquadra no sexto mandamento. Contudo, a maior evidência da Eterna Lei de Deus, é o pecado de Adão e Eva, pois pecado é transgressão da Lei (1 João 3:4). A Bíblia revela que sem lei não há pecado (Romanos 4:15). Qual lei foi transgredida no Éden? A eterna lei do amor e lealdade para com Deus, da qual os 10 Mandamentos são um reflexo.

      2. Leis Civis: Eram leis relacionadas aos assuntos do dia-a-dia comercial, econômico, familiar, pecuniário, etc.

      a. Leis acerca dos servos (ver Êx. 21:1-11; Dt. 15:12-18);
      b. Leis sobre a violência, assassinato, etc. (Êx. 21:12-36; Lv. 24:17-22);
      c. Leis acerca das propriedades (Êx. 22:1-15);
      d. Leis referentes ao casamento (Êx. 22:16; Dt. 24:1-5);
      e. Leis a favor dos pobres e dos escravos (Êx. 21:1-11; Lev. 25:35-55; Dt. 15:1-18);
      f. Leis de procedimento de guerra (Dt. 20:1-20; 21:10-14; 24:5);
      g. Leis para filhos insubordinados e rebeldes (Dt. 21:18-21);
      h. Deveres dos juízes (Êx. 23:6-9; Dt. 16:18-20);
      i. Outras.

      Com os avanços sociais que envolveram a indústria, a economia, a política, etc., essas leis foram suplantadas por modernos sistemas jurídicos e conjuntos de leis que mantêm a ordem e a justiça na sociedade moderna.
      Quando os israelitas saíram do Egito – lá viviam como escravos – não tinham bons costumes, viviam em um caos e sem leis que regulamentassem a vida social no deserto e na terra prometida. Imagine! Havia 600 mil homens, sem contar mulheres e crianças (Êx. 12:37). Estima-se que o povo era constituído de aproximadamente dois milhões de pessoas. As leis civis organizaram aquele povo, naquela época e para aquele contexto; embora muitas daquelas regras ainda estejam vigentes em diversos sistemas jurídicos (de forma mais modernizada). Outras regras ou leis ficaram obsoletas e foram substituídas de acordo com as necessidades da sociedade.

      3. Leis Cerimoniais: Eram aquelas leis relacionadas ao ritual do santuário, aos sacrifícios expiatórios e todas as regulamentações para o serviço do santuário. Essas leis incluíam responsabilidades e deveres dos levitas e sacerdotes. A maioria dessas leis está descrita no livro de Levítico.
      a. A Páscoa, Festa dos Pães Asmos, Festa das Semanas (das primícias), Festa da Colheita, Festa dos Tabernáculos, Festa das Trombetas, Etc. (Êx. 23:14-19; 34:18-28; Lv. 23:4-21, 33-44; Dt. 16:1-17);
      b. Leis sobre sacrifícios, ofertas e holocaustos, matanças de animais (Lv. 1-7; 17:1-9);
      c. Regulamentações para os sacerdotes (Lv. 10:8-20; 21-22);
      d. Regulamentações para o dia da expiação (Lv. 16);

      Essas leis tinham um caráter transitório. “O Novo Testamento deixa claro que os rituais do santuário do Antigo Testamento chegaram ao fim por meio do sacrifício de Cristo na Cruz e do seu ministério sumo sacerdotal no santuário celestial. A lei que regulamentava o sistema israelita de adoração era ‘sombra dos bens vindouros, não a imagem real das coisas’ (Hb 10:1), e encontrou seu cumprimento em Cristo.” (As Festividades Israelitas e a Igreja Cristã; Parousia, Ano 6, n. 1, p.35).

      4. Lei para a manutenção da obra de Deus:
      a. Dízimo (Dt. 14:22-29; Ml. 3:10).

      Essa lei não foi abolida e é praticada por todas as igrejas cristãs para a manutenção da pregação do evangelho.

      5. Leis universais: Leis que têm aplicação universal e que ultrapassam o limitado enfoque da lei cerimonial.
      a. Os 10 mandamentos já vistos (Êx. 20);
      b. Proibição da mutilação do corpo, dilacerações e marcas (Êx. 20:13; Lv. 19:28; Dt. 14:1-2). Encontramos princípio semelhante no Novo Testamento nos seguintes textos:
      • 1 Coríntios 10:31 – “Portanto, quer comais, quer bebais ou façais outra coisa qualquer, fazei tudo para a glória de Deus.”
      • 1 Coríntios 6:19-20 – “Acaso, não sabeis que o vosso corpo é santuário do Espírito Santo, que está em vós, o qual tendes da parte de Deus, e que não sois de vós mesmos? Porque fostes comprados por preço. Agora, pois, glorificai a Deus no vosso corpo.”
      c. Proibição de comer carne com o sangue (Lv. 17:10);
      • Esse mandamento tem um caráter universal aplicável para todos, em todas as épocas.
      “Portanto tenho dito aos filhos de Israel: Nenhum de vós comerá sangue; nem o estrangeiro que peregrina entre vós comerá sangue” (Lv. 17:12).
      “O peregrino e o estrangeiro” referidos no verso acima refletem o caráter universal desse mandamento.
      Antes da existência de uma entidade conhecida como Israel, já em Gênesis 9:4 encontramos a lei universal que proíbe o comer sangue.
      “A carne, porém, com sua vida, isto é, com seu sangue, não comereis” (Gn. 9:4).
      E a lei prossegue com aplicação ao “israelita e ao estrangeiro” em Levítico 17:10-12. Mais uma prova de que essa proibição tem caráter universal e é a decisão do primeiro concílio da igreja registrado em Atos 15:20: “mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da prostituição, do que é sufocado e do sangue”.
      d. Proibição de comer a carne de animais imundos:
      • Em Deuteronômio 14:3-21 e Levítico 11, encontra-se a lista dos animais impuros ou “abomináveis” (tô’ebôth). O termo to ebôth (abominável) é empregado no início da declaração introdutória de Deuteronômio 14:3-21. A palavra “abominação” tem várias conotações, mas significa, essencialmente, algo que por sua natureza é definido em oposição ao que é aceitável e/ ou permissível por Deus (Diether Kellermann, Theological Dictionary of the Old Testament, II:447).
      • As leis não-cerimoniais e universais de Lev. 18 aplicam-se novamente tanto ao israelita quanto ao “estrangeiro”. Essas leis incluem casamentos proibidos (Lev. 18:6-17), pecados contra a castidade (Lev. 18:18-21), homossexualismo (Lev. 18:22), e bestialidade (Lev. 18:23). Essas leis universais fizeram com que nações pagãs fossem expulsas (Lev. 18:24) de modo que “a terra vomita os seus habitantes”(vs. 25). O vs. 26 sintetiza: “Nem o natural, nem o estrangeiro que peregrina entre vós” praticará essas “abominações” (tô’ebôth).
      • Neste ponto há uma consideração linguística adicional de que a lei de animais puros e imundos é uma lei não-cerimonial universal. As “nações” pagãs de Canaã envolviam-se em “abominações” (tô’ebôth) que eram proibidas nas leis universais e sofreram as consequências de tais atividades em juízo divino por atacado (Lev. 18:24-30). Exatamente nessa linha, comer animais imundos é algo “abominável”, envolvendo outra lei universal que é válida para toda a humanidade (ver também Isa. 66:16-18).
      • A distinção entre animais limpos e imundos (o que é abominável) aparece em Gênesis 7:2-8, isto é, muito tempo antes da existência de Israel. O ambiente de Gênesis 7 é de caráter universal e assim, aplicável a todos. Essa distinção de animais puros e imundos não é produto de legislação, mas precede a lei de Moisés desde os tempos antes do dilúvio. Tal distinção une-se a outras instituições fundamentais que antedatam os tempos israelitas e remontam à história dos próprios inícios de tudo, partilhando de tais verdades eternas como o casamento (Gn. 2:18-15) e o sábado (Gn. 2:1-3)
      (Dr. Gerhard F. Hasel, Ph. D).

      Conclusão:

      As leis universais não têm caráter cerimonial e transitório. As leis cerimoniais encontram seu cumprimento em Cristo. As leis universais são instituições divinas que em sua natureza têm abrangência universal. Para todos, tanto israelita como estrangeiro, pois Deus rejeita o que é abominável (tô’ebôth).
      Os animais impuros, abomináveis de Deuteronômio 14:3-21 e Levítico 11 (tô’ebôth) são tão abomináveis (tô’ebôth) quanto as práticas abomináveis (tô’ebôth) das nações pagãs (Levítico 18).
      A consequência para esses atos abomináveis estão descritos em Levítico 18:25 e Isaías 66:16-18.
      Para aquele que atende às orientações de Deus há uma belíssima promessa:
      “Sobre ti não enviarei nenhuma das enfermidades que enviei sobre os egípcios; porque eu sou o Senhor que te sara” (Êxodo 15:26).
      Deus jamais criaria um sistema de leis de saúde para beneficiar apenas uma nação em detrimento das outras. As leis de saúde são universais, pois Deus ama a todos, e quer que Seus amados estejam protegidos contra doenças e pestilências. As escrituras revelam o cuidado e amor de Deus para com os Seus filhos.
      Vamos aguardar seu retorno, Deus é justo e amor em todas as Suas ações, Ele quer te fazer feliz neste mundo e principalmente te preparar para a vida eterna, que você siga sempre as verdades do Senhor em sua vida, conte sempre conosco um grande abraço dos seus amigos do BÍBLIA.

  • marina disse:

    Obrigado por esclarecer duvidas… tb acreditava na Igreja Adiventista do Setimo Dia, e agora acredito mas ainda… com a graça de DEUS !!!
    E o principal motivo é ” ele nos manda guarda os dez mandamentos,no antigo e no novo testamento.Por que então muitos, não guardam os sabádos ??? Ai fica a critério e a escolha de cada um!!
    O importante é seguir a DEUS !!!

  • voce ta de brincadeira porque a BIBLIA nos mostra que quando JESUS morre na cruz o veu se rasga ,isso significa que todos os dias e momentos podemos adorar ,louvar e exaltar a DEUS e nao apenas no sabado.
    e como e que o adventismo nao crer no ESPIRITO SANTO sendo que ele e destacado como consolador na BIBLIA . e porque que nao come isso ou nao bebe aquilo se DEUS Da uma visao a pedro quanto a comida e pedro disse que nao comeria porque aquilo era impuro e DEUS diz como chamas impuro oque eu purifiquei ATOS DOS APOSTOLOS cap 10 ;vers 13,14,15

    • roberto disse:

      Veja querido irmão ALUILSON, com toda certeza devemos adorar a Deus em todos os dias, a única diferença é que no sábado não dividimos nossa atenção com outras atividades, dedicamos somente a Deus. Perceba que pecado é a transgressão da lei , se não houver lei não existe pecado e se não houver pecado não haveria necessidade de Jesus voltar a este mundo não é mesmo?

      Se a lei continua em vigor, se devemos obedecer os mandamentos, se não matamos, se não roubamos, porque não podemos guardar o sábado?
      Perceba que é algo natural irmão?

      Cremos e muito no Espírito Santo, precisamos tomar muito cuidado com o que é visto em alguns locais, principalmente na internet onde , por falta de conhecimento ou por má intenção realmente , acabam passando informações equivocadas a este respeito.

      Na Bíblia encontramos vários textos que confirmam a onipresença do Espírito Santo (ver Sl 139:712; Jo 14:16 e 17; 1 Co 3:16; 6:19). Além disso, existem pelo menos quatro importantes evidências bíblicas de que o Espírito Santo é também um Ser pessoal distinto do Pai e do Filho. Uma delas são as alusões à Divindade como composta de três Personalidades distintas. Por exemplo, no batismo de Jesus a voz do Pai foi ouvida do Céu, e o Espírito Santo desceu na forma de uma pomba (Lc 3:21-22). Tanto na fórmula batismal (Mt 28:19) quanto na bênção apostólica (2 Co 3:13) as três Pessoas são mencionadas de forma distinta.
      Outra evidência da personalidade do Espírito Santo é o fato de Cristo referir-Se a Ele em João
      14:16 como “outro Consolador” (grego állon parácleton) que seria enviado pelo Pai em nome de Cristo (Jo 14:26). Se o Espírito Santo fosse o próprio Pai, como alegam alguns, como poderia o Pai enviar-Se a Si mesmo? Referindo-Se ao Espírito Santo como “Consolador”, Cristo usa o mesmo termo grego parácleton que é traduzido em 1 João 2:1 como “Advogado”. Assim como este “Advogado” (Cristo) está “junto ao Pai”, sem ser o próprio Pai, também aquele “Consolador” (o Espírito Santo) é qualificado como “outro Consolador”, enviado pelo Pai sem ser o próprio Pai.
      Uma terceira evidência de que o Espírito Santo é um Ser divino encontra-se nos vários textos que O associam a várias características de uma personalidade distinta dentro da Divindade. Por exemplo, Ele “a todas as coisas perscruta, até mesmo as profundezas de Deus” (1 Co 2:10); Ele derrama o amor de Deus em nosso coração (Rm 5:5); Ele distribui os dons espirituais a cada um “como Lhe apraz” (1 Co 12:11); e Ele pode ser entristecido (Ef 4:30).
      Além disso, a Bíblia declara também que o Espírito Santo “intercede por nós” diante do Pai “com gemidos inexprimíveis” (Rm 8:26). Como poderia o Espírito Santo interceder diante do Pai se Ele mesmo fosse o Pai? A fim de perscrutar “as profundezas de Deus”, o Espírito Santo precisa ser plenamente Deus; e para interceder com o Pai, o Espírito Santo precisa ter uma Personalidade distinta do Pai.
      Cremos, portanto, no testemunho bíblico de que o Espírito Santo é um Ser plenamente divino, onipresente e pessoal.

      Tenha um dia muito especial cheio da graça de Deus , conte sempre conosco um grande abraço dos seus amigos do BÍBLIA.

  • Emilly Oliveira Sander disse:

    olá gostei muito dessa postagem tirou uma dúvida minha.. obg

  • Concordo em gênero e grau com esse comentário amigo(a),penso que não é o fato de os adventistas decidirem obedecer os mandamentos de DEUS que devem ser considerados seitas.Se toda seita fosse assim tenho certeza que Jesus voltariam muito mais rápido,porque aí sim,todos estariam fazendo a vontade do Pai!!!Fiquem todos com DEUS.

  • Gostei muito desse artigo. Não sou adventista, mas não vejo ela como seita. O fato dela guardar o sábado. Mas a guarda do sábado não é o quarto mandamento.Segundo deixou Deus, não é para que se guarde os mandamentos? Duas coisas Deus instituiu antes que houvesse judeus.Primeira instituição-(CASAMENTO)e em seguida a guarda do Sábado.É interessante estudarmos a fundo as escrituras. Porque será que ao deixar os dez mandamentos, a guarda do sábado aparece como quarto mandamento? E se é mandamento porque as outras igrejas guarda o domingo? não esta na hora de todos começarem a estudar a Bíblia, ao invés de simplesmente lê-la como se fosse um livro de alta ajuda? Atualmente eu me vejo estudando a Bíblia.Como eu disse não sou adventista, mas deixei de preguiça,e comecei a estudar. E muito cômodo ir a igreja ouvir alguém pregar, voltar pra casa, e não examinar as escrituras. Porque estuda a palavra gasta tempo.O profeta Amós já nos adverte: prossigamos em conhecer quem é o Senhor. Também esta escrito: o meu povo erra porque lhes falta conhecimento.Há! poderia alguém dizer: mas foi uma mulher quem fundou essa igreja.É melhor estudarmos sobre a vida dela, será que não têm um certo preconceito ai.Ela não elege profetisa, ela se vê como mensageira de Deus. Mas ela tem todas as características de uma profetisa.Assim como a profetisa Ana da bíblia.Deus escolhe quem ele quer para revelar seus ministérios. Um abraço

  • Cirley disse:

    Gostei muito desse comentário .
    É um assunto muito aproveitador , me ajudou muito nos meus estudos .
    pois as pessoas criticam , a nossa igreja sem conhece-lá .
    Mas Deus abrira lhe os olhos, dessas pessoas :
    Ficam com Jesus abraços a todos vcs .

Comente este artigo

Comente este artigo


Current ye@r *