Diretório de artigos

Pesquise por termo ou palavra chave

a b c d e f g h i j l m n o p q r s t u v x z

Precisamos dar sacrifícios em dinheiro, votos mensais e ofertar tudo o que temos para sairmos das dívidas?

Você faz bem em procurar o que a Bíblia diz e não o que ouve por aí. Realmente, a Bíblia nos convida a sermos um “sacrifício vivo” (Romanos 12:1, 2) a Deus, isso envolve todos os aspectos da vida. Na realidade, o sentido implica em colocarmos Deus antes de todas as coisas. Nosso coração deve estar devotado inteiramente a Deus. Mas não podemos ser enganados por falsos profetas que andam por aí dizendo que devemos dar tudo o que temos para a igreja. Esses falsos pastores querem, na verdade, ficar ricos com o dinheiro dos fiéis.

A Bíblia diz que devemos devolver os dízimos e ofertar. O dízimo é entregue somente quando o adorador já recebeu a bênção divina e não o contrário. Portanto, se alguém não tem renda ou está sem rendimento, não precisa sentir-se culpada por não dizimar. Infelizmente há muitos que pensam que vender os bens ou tirar o dinheiro de uma “poupança” e entregar na igreja fará com que Deus abençoe e multiplique os seus bens. Deus não pode ser comprado! O princípio do dízimo é inverso. Primeiro Deus abençoa e então a pessoa dizima do que recebeu. Mas não vender tudo para a obra da pregação do evangelho. O Senhor Jesus ensinou sobre a importância dos dízimos. Mas deixou claro que existem outros deveres religiosos também muito importantes: “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! Pois que dais o dizimo da hortelã, do endro e do cominho e desprezais o mais importante da lei, o juízo, a misericórdia e a fé; deveis, porém, fazer essas coisas e não omitir aquelas” (Mateus 23:23).

Ou seja, esses fariseus davam o dinheiro para a obra de Deus ser mantida, mas interiormente não estavam com Deus. Sobre os sacrifícios: “Guarda o pé, quando entrares na Casa de Deus; chegar-se para ouvir é melhor do que oferecer sacrifícios de tolos, pois não sabem que fazem mal” (Eclesiastes 5:1).

Preste atenção neste outro texto bíblico: “Porém Samuel disse: Tem, porventura, o SENHOR tanto prazer em holocaustos e sacrifícios quanto em que se obedeça à sua palavra? Eis que o obedecer é melhor do que o sacrificar, e o atender, melhor do que a gordura de carneiros” (1 Samuel 15:22). Podemos ver que a reverência na casa de Deus, o jejum, o orar na madrugada e outros sacrifícios para estar em comunhão com Deus são bons, mas estes atos não podem estar dissociados da motivação correta que é o amor a Deus e ao próximo. Por isso Ele disse: “Pois misericórdia quero, e não sacrifício, e o conhecimento de Deus, mais do que holocaustos” (Oséias 6:6).

Do que adianta alguém vender tudo, dar a igreja, jejuar… se a pessoa não pratica os mandamentos principais – amar a Deus acima de todas as coisas e ao próximo como a si mesmo? (1 Coríntios 13:3). Deus quer discípulos que vivam o Evangelho e não sofredores. Deus quer seguidores que tenham a graça divina e produzem o fruto do Espírito: amor, alegria, paz, bondade, longanimidade, benignidade, paciência e domínio próprio (Gálatas 5:22). Precisamos lembrar-nos de que Deus não “vende” as suas dádivas a nós. Ele presenteia os seus filhos com elas. Porque Ele nos ama.

Portanto, continue sendo fiel a Deus, devolvendo o dízimo e ofertando na medida em que Ele lhe abençoa. Se Ele quiser abençoar você, Ele o fará. Mas não faça “troca” com Deus. Ele não é um banco. Ele é o Deus soberano. Confie nEle e faça a sua parte, colocando a sua vida nas mãos dEle. “Entrega o teu caminho ao Senhor, confia nEle e o mais Ele fará” (Salmos 37:5).

Equipe Biblia.com.br

  • bruno henrique disse:

    olha os apóstolos falavam sim de sacrifício é só vc ler em atos 5 que fala de Ananias e Safira. fala que eles venderão um campo, ou seja, o terreno deles e depositaram aos pés dos apóstolos. eu pergunto o que é isso? sacrifício. o problema é que o Deus desse mundo é o dinheiro e ninguém tem coragem de sacrificar os seus bens. só querem louvar…

  • regis disse:

    Concordo que é melhor obedecer do que sacrificar, mas temos que tomar cuidado no que diz respeito à “sacrificar”. Jejuar e orar é uma pratica para se fortalecer espiritualmente. Porque o próprio Jesus disse: Esta casta de demônio se sai senão com jejum e oração, então jejuar não pode confundir com sacrifício e mesmo se houver sacrifício é um sacrifício necessário. Agora quem não obedece a palavra dificilmente vai jejuar.

Comente este artigo

Comente este artigo



Fale Conosco

Envie suas sugestões ou solicite informações