biblia.com.br

Dificuldades financeiras e brigas conjugais. Como resolver?

11 de abril de 2012

Cônjuges que possuem rendas e objetivos financeiros diferentes acabam divergindo porque não possuem um objetivo financeiro que una o casal.

Dra. Thaís Souza

Ao falarmos sobre dificuldades conjugais, geralmente pensamos em problemas na comunicação, na área sexual, no relacionamento com os sogros, mas dificilmente pensamos em problemas financeiros. No entanto, estes são um dos fatores que mais levam os casais a enfrentarem uma crise conjugal. Por quê?

Mesmo no casamento, cada um possui sua individualidade. Cada um possui uma forma diferente de lidar com o dinheiro e geralmente cada pessoa deseja que a outra seja igual a ela. Se isso não acontece, se frustra, se distancia e acaba não resolvendo a situação.

Outra razão é o histórico familiar. Cada pessoa carrega consigo a lembrança e a experiência de como cada família lidou com o dinheiro, e isto normalmente passa a ser um modelo forte para cada um dos dois. Cônjuges que possuem rendas e objetivos financeiros diferentes acabam divergindo porque não possuem um objetivo financeiro que una o casal.

Há casais que possuem muito medo de conversarem sobre questões financeiras porque podem estar muito bem afetivamente e sabem que se tocarem no assunto “dinheiro”, levantarão um problema. No entanto, fugir da questão não resolve!

Se um casal percebe que a dificuldade em lidarem com questões financeiras no casamento está prejudicando o convívio e o bem-estar conjugal, há algumas atitudes que podem ser tomadas:

1) Cada um deve reconhecer as dificuldades que possui no lidar com o dinheiro, para começar a solucionar o problema. Portanto, se um cônjuge percebe que gasta muito, ou que é muito controlador do dinheiro do outro, ou que não tem controle sobre nada que gasta, é fundamental buscar soluções.

2) É importante que o casal faça um orçamento familiar por escrito a fim de planejarem os gastos e os investimentos que farão juntos e tenham clareza a respeito do que pode ser gasto e do que não pode.

3) O casal deve estabelecer metas e objetivos financeiros em comum. Por mais que não tenham uma conta conjunta, é aconselhável que dividam os gastos proporcionalmente ao ganho de cada um e que participem, juntos, na construção de uma poupança conjunta destinada a objetivos conjugais e familiares.

Equipe Biblia.com.br

História da Bíblia
O que a Bíblia diz sobre a tranquilidade?