biblia.com.br

Oração de intercessão

11 de abril de 2012

Devemos orar pelas pessoas mesmo quando elas não pedem oração? Se eu estiver orando por alguém e esta pessoa negar o que estou fazendo por ela, a minha oração fica sem valor?

“Devemos orar pelas pessoas mesmo quando elas não pedem oração? Se eu estiver orando por alguém e esta pessoa negar o que estou fazendo por ela, a minha oração fica sem valor?”

Em resposta a sua pergunta façamos um estudo baseado em Êxodo 17:11-13. Aqui vemos que “quando Moisés levantava sua mão, dominava Israel, e quando baixava a sua mão, dominava Amaleque”.

Vamos analisar o exemplo do grande profeta na luta contra os amalequitas.

Quando o povo de Deus, caminhando pelo deserto se dirigia para o Monte Sinai, repentinamente os guerreiros amalequitas saíram e atacaram a retaguarda da enorme caravana do povo de Deus. Os hebreus tinham poucas armas e nenhuma experiência de guerra. Moisés, depois de um breve planejamento, subiu ao cume de um morro vizinho e levantou seus braços em oração, enquanto Josué e suas tropas saiam para enfrentar o inimigo.

Rapidamente os amalequitas retrocederam em retirada. Mas pelo cansaço, Moisés abaixou os braços. Imediatamente, foram os hebreus que saíram em retirada.

Arão e Hur haviam acompanhado a Moisés ao monte para orar. Quando notaram a diferença que fazia a oração de Moisés, aproximaram-se dele e sustentaram ao alto seus braços para que pudesse seguir orando. A oração fez uma grande diferença!

O levantar as mãos geralmente era considerado pelos antigos eruditos como sinal de atitude de oração. Moisés estava erguendo uma fervorosa oração a Deus em procura de ajuda e vitória. Mas por que Moisés não continuou orando enquanto tinha suas mãos cansadas? Porque era muito difícil se manter em oração durante longo período de tempo. Pois quando ele deixava cair as mãos devido a fadiga também descansava da concentração mental necessária para orar.

Para impressionar Israel devido à importância da intercessão, Deus permitia que se alternasse o êxito e o fracasso de acordo com a oração. Deus queria que seu povo aprendesse que seu êxito deveria ser buscado. A oração intercessora naquele dia foi o que determinou a vitória deles, amém! Podemos obter duas conclusões bem definidas da experiência de Moisés.

Quando Deus opera, pode se conseguir mais em um momento, do que podemos alcançar trabalhando uma vida inteira. Observe esse pensamento:

“Dependa do talento, e obterás o que o talento pode fazer. Dependa da educação, e obterás o que a educação pode conseguir. Dependa da organização, e obterás o que a organização pode fazer. Ore, ore fervorosamente e constantemente, e obterás o que Deus pode fazer.”

O inicio da oração não jaz nas pessoas, mas em Deus. É Deus que nos move para orarmos por uma pessoa. Mesmo que você esteja orando por alguém que não deseja ser atendido, não desista, pois Deus irá utilizar você como um motivo para realizar aquilo que está sendo proposto na oração. Em outras palavras, é como se Deus dissesse:

“Aquele rapaz que você está orando por ele não deseja que eu entre na vida dele, mas a minha serva fiel está orando e eu atenderei ao pedido dela”.

Portanto, entendemos que ao orar por alguém Deus utiliza-se de nossa intercessão como justificativa para abençoar a vida daquela pessoa. Isso não quer dizer que Deus irá forçar a liberdade de ninguém. Deus sempre respeita o livre arbítrio, mas através da oração Deus move as circunstâncias e atua de modo a impressionar aquela pessoa quanto aos benefícios de deixar Deus dirigir a sua vida. Para o Espírito Santo ninguém é um caso perdido. Deus seja louvado!

Equipe Biblia.com.br

O que a Bíblia diz sobre a religião?
O que preciso saber sobre o adultério (parte 2)