Diretório de artigos

Pesquise por termo ou palavra chave

a b c d f g h i j l m n o p q r s t u v x z

Não consigo eliminar o ciúmes da minha vida sentimental. Amo muito o meu namorado, porém não consigo controlar por completo a situação. Preciso de ajuda.

Creio que você toca em um ponto que é muito comum entre os que amam e, com certeza, necessita de esclarecimento.

Veja bem: sentir ciúmes, por si só, não é sinal de pecado ou de problema.

O apóstolo Paulo, em sua primeira Epístola aos Coríntios (1º Coríntios 13:4), fala que “o amor não ARDE em ciúmes”, mas não diz que um pouquinho de ciúmes faz tanto mal.

O ciúme passa a ser um mal, quando se torna destrutivo.

Vamos entender melhor o que é o sentimento que chamamos de CIÚME.

Talvez, seja útil imaginar o ciúme como uma linha crescente, que vai desde o sentimento de cuidar e de pertencer até o sentimento de destruição (“se não for meu, não será de ninguém”).

Desta forma, no início da linha, é saudável um certo exclusivismo, onde você é capaz de comunicar para o outro que você se importa com ele e quer preservar a relação que vocês têm, pois é algo que acredita ser bom para ambos. Nestas circunstâncias, os dois estão livres para ser quem realmente são, sem retaliações. Os dois têm interesse na relação e acham saudável manter contatos sociais com amigos de ambos os sexos, mas dentro dos limites do compromisso existente entre ambos. seja no namoro, noivado ou casamento. Porém, do outro lado desta linha crescente, se tal sentimento começa a colocar amarras em um, ou no outro, tolhendo a espontaneidade de um ou do outro e, quase transformando um de vocês num prisioneiro da relação entre ambos. Neste caso, a pessoa já está partindo para o lado DESTRUTIVO do ciúme que “arde”, onde não existe mais o amor, mas uma raiva de não poder manipular, dominar ou mudar o outro.

De maneira geral, não conseguimos mudar ninguém. Talvez só consigamos mudar a nós mesmos e, mesmo assim, com muita dificuldade. Por isto, se você vê algo que você não pode aceitar no seu namorado, noivo ou esposo, não queira mudá -lo. O melhor é você mudar “dele”. Entendeu?

Já que falamos no ciúme, vou esclarecê-la, mais detalhadamente, um pouco do que se denomina “CIÚME” e, também, a etiologia ou origem deste sentimento.

O ciúme é a reação à uma ameaça percebida, real ou imaginária, a um relacionamento que se valoriza. Ele pode se tornar um pesadelo de regras, condições e restrições, que desgraçam a vida, tanto do ciumento como de sua vítima, podendo chegar ao ponto de, literalmente, destruir a própria vida (Suicídio = “vou me matar na frente dele, só para ele ver o quanto me faz sofrer”), ou a vida do outro (Homicídio = “como não agüento vê-lo com outra, e não posso dominá-lo, então eu o mato)”.

O ciúme que “arde”, na maioria das vezes, reflete um fraco senso de si mesmo e surge do medo da perda.

Talvez, a melhor maneira de entender o ciúme é voltar ao começo da vida física, quando o bebê está iniciando o nascimento emocional ou psicológico. A imagem prototípica do bebê “no seio da mãe”, que sugere proteção, ilustra todas as outras relações de desejo que uma pessoa virá a ter durante a sua vida.

Ali no seio, o infante é totalmente dependente do leite, para obtenção de prazer e sobrevivência. O leite, contudo, não mana na mesma quantidade e rapidez do desejo ou da fome. O bebê o quer até a última gota. A intenção não é DESTRUIR, mas POSSUIR e CONTROLAR a fonte do prazer. Entretanto, para manter o fluxo, será necessário conter o desejo e sustentar a esperança de que terá um pouco, não tudo, a intervalos suportáveis de tempo. No desejo de ter mais ou tudo, o bebê começa a sugar e cuspir o leite, mostrando que agora quem comanda é ele mordendo o seio da mãe, numa ação de agressão/destruição, fazendo com que, o tão desejado leite, pare, imediatamente, de fluir.

Nestes termos, temos o nascimento de duas emoções : a USURA e a INVEJA (ou ciúme que “arde”). A primeira quer POSSUIR e CONTROLAR, a segunda quer DESTRUIR.

A moldura mental que fica é a seguinte: “-não posso admitir que eu seja tão dependente deste prazer, ao mesmo tempo em que sua fonte está fora de meu alcance, dependendo do outro e não de mim. Portanto, VOU EXIGIR mais e mais deste prazer. QUERO TER o suficiente para NÃO FICAR na dependência”.

A USURA é o desejo de possuir e controlar: “- como não consigo controlar, então começo a negar minha necessidade deste prazer. Não quero mais. Assim, o controle da situação retorna à mim. Entretanto, vou além. Se não tenho mais necessidade, então posso destruir, acabar com a fonte deste prazer, pois é a PROVA MÁXIMA de que não o quero, não preciso dele, e nem sou, dele, dependente. Agindo desta maneira, verá como eu o DESTRUO.

Este ciúme, que “arde”, não mais quer ter acesso ao prazer, mas agora quer destruí-lo. Não pode tolerar a existência de algo tão poderoso e importante, capaz de fazer uma diferença tão enorme na experiência e, ainda assim, estar fora do controle. É melhor destruir esse “bem” do que ficar dependente dele. A própria existência deste “bem” suscita uma inveja intolerável, onde o único escape é a destruição fantasiada ou concreta do próprio “bem”.

O ciúme, que “arde” (inveja), é o mais destrutivo de todos os processos mentais primitivos. A característica extraordinária e única deste ciúme que “arde” é que ele é uma reação, não à frustração ou dor, mas à gratificação e ao prazer. É um ataque àquele ou àquilo que produzirá a saciedade, uma reação ao que é bom. Este ciúme, que “arde”, contamina a mais pura fonte do amor e REFÚGIO. Tal ciúme/inveja DESTRÓI a esperança.

Na sua formação ou origem, este tipo de CIÚME/INVEJA é a resposta da criança a um estilo dramaticamente INCONSISTENTE de paternidade/maternidade, onde a esperança de responsividade e amor é continuamente estimulada, mas freqüente e cruelmente desapontada.

Este sentimento negativo leva à destruição invejosa de todo senso de bondade exterior, que possa existir no mundo, e à destruição da esperança de que haja qualquer ajuda fora da própria pessoa.

Na literatura, um clássico, abordando esta dinâmica, é o livro “CRIME E CASTIGO”, de Dostoyevski. O autor parece ter se inspirado em seu próprio sofrimento, ao escrevê-lo. Ao retornar à Rússia, depois de um longo e sofrido exílio na Sibéria, e profundamente abalado pela morte da esposa e do irmão, deu continuidade à sua obra literária, onde discute o materialismo e a fé, o nacionalismo e o pensamento ecumênico, a violência e o sentido da humanidade. Neste livro, cujo cenário retrata os becos sombrios e vielas com imensos casarões de São Petersburgo, bem como a paisagem desolada da Sibéria, estão presentes o interesse permanente pelo problema moral do crime e todas as contradições da época em que viveu este autor, considerado um dos maiores escritores russos de todos os tempos, e um clássico da Literatura Universal.

Na Bíblia, podemos ver a mesma dinâmica, em várias passagens, tais como : na experiência de Caim ao matar seu irmão Abel e se rebelar contra o próprio Deus; na história dos irmãos de José do Egito, quando venderam José. seu próprio irmão, aos mercadores; na experiência de Absalão, ao tentar tomar o trono do próprio pai, Davi, e, também, quando Judas traiu a Jesus. Na verdade, Judas o fez, porque queria controlar o poder de Cristo; ele queria que Jesus demonstrasse Seu poder, matando os romanos.

No aspecto religioso, quando uma pessoa deixa-se dominar pelo ciúme que “arde”, torna-se difícil para ela aceitar a graça salvadora de Deus em Jesus Cristo. Isto leva o indivíduo, até mesmo, a rejeitar qualquer forma de religião, onde a salvação esteja fora dele mesmo. É por isto que tantas pessoas confiam muito em seus próprios esforços, regras e preceitos, para alcançar a salvação. Nestes casos, uma terapia ajudará a abrir as portas para uma religião viva e vivificadora.

A pessoa que conseguiu libertar-se do ciúme doentio poderá ter uma vida feliz e desfrutar de melhores relacionamentos.

Um abraço,

Adami A. Gabriel, psicólogo clínico

Contato: adamipsyd@yahoo.com
Webpage: http://paginas.terra.com.br/saude/Adami/

Mais itens relacionados

Comentarios

Este artigo teve "22 Comentários"

  • Natália disse:

    Me casei agora em setembro. mas desde que casei não teve um dia que agente não briga. mas quem começa sou eu, eu sou muito ciumenta, eu jogo o passado na cara dele, e penso cada coisa… e falo tudo aquilo que eu penso. chegamos no ponto de chora. eu magoou ele demais, pelo meu ciumes,não sei o que fazer. tamos bem. e em seguida eu mudo. fico braba, fico a cara pra ele, sendo que antes estavamos rindo. mais e porque eu lembro .. e me bate

  • lucilea disse:

    por favor me ajude em oracao, desde o comeco meu casamento foi alvo de macumbaria. por isso , sempre brigo com meu marido, achando que ele esta olhando para alguem, na rua, na televisao, igreja, etc.somos casados ha 15 anos e le e muito bom para mim, homem de Deus sincero. mas nao consigo tirar esses pensamentos da cabeca. chega ser uma tortura.

    • Instrutor disse:

      Olá querida irmã LUCILEA, realmente a família é um alvo de satanás por se tratar de um dos planos maravilhosos de Deus para todos nós, sendo assim é muito importante estarmos tendo um relacionamento muito próximo de Deus e de Sua Palavra para nos mantermos firmes diante destes ataques.

      Nos diga uma coisa, como tem sido sua comunhão com Deus, você tem estudado a Bíblia e orando diariamente com seu marido? Isso ajudará bastante vocês, aguardaremos seu retorno para continuarmos conversando sobre o assunto, que as bênçãos de Deus repousem sobre sua vida, Ele te ama muito, um forte abraço dos amigos do BÍBLIA.

  • Ive disse:

    Olá, estive lendo os e-mails anteriores no qual vocês convidam uma colega afazer estudos bíblicos, podem me ajudar por favor? Estou com medo de perder o meu casamento por conta de um ciúme doentio e sei que é imaginário, não estou permitindo quem meu esposo tenha uma vida social, brigo por tudo…qualquer coisa acho que é traição, eu sei que estou o sufocando, mas não estou conseguindo me calar, descansar no Senhor e me acalmar. Desde já agradeço! A paz à todos.

    • Instrutor disse:

      Claro querida irmã IVE, estaremos entrando em contato com você por e-mail, que a chama da esperança esteja acesa diariamente em sua vida, Deus tem planos grandiosos para você, conte sempre conosco um grande abraço dos seus amigos do BÍBLIA.

  • Aline disse:

    Queridos irmãos, a paz do Senhor.
    Após ler atentamente a cada texto, gostaria de participar do estudo realizado via e-mail, referente a este assunto ( ciúmes) que vem, de uma certa maneira, trazendo algumas desavenças em meu relacionamento também. No meu caso, estou a 3 meses com uma pessoa muito agradável, leal, sincera, que tem um grande zelo e cuidado por mim. Essa pessoa se converteu recentemente (1 ano) e vem aprendendo aos poucos os princípios cristãos, porém, devido a experiências vividas (traumas de antigos relacionamentos – namoros e amizadades), alguns aspectos ainda são incompreensíveis ao meu namorado, como um cumprimento a meninos do meu bairro, um abraço no cumprimento em meus amigos, uma conversa entre um amigo (irmão na fé) e eu. Também não é aceitável a ele a questão de ter amigos mais chegados que irmão. Em seus aprendizados da vida, o que hoje acredita, é que apenas a família convêm ter uma intimidade, as pessoas da igreja (nossos irmãos na fé) podem me manipular, tentar conduzir meus passos. Enfim, ele não consegue acreditar ainda que dentro de um ministério, com as experiências espirituais, com o convívio nas horas boas e ruins, com as muitas orações, se possa adquirir uma intimidade positiva que quando mantida, nos dá um pouco da base para não sairmos do caminho de Cristo e nos isolarmos.
    Preciso de ajuda, porque de fato, como ele está “entrando” agora no meu convívio de amigos, não consigo chegar em algum deles para desabafar e pedir uma orientação devido ao medo de que eles possam interpretar de uma outra maneira. Acredito, que pelo fato dEle ainda estar aprendendo, o Senhor vai moudá-lo aos poucos, e por isso, não cabe a mim cobrar essa mudança, porém, se eu não colocar certos limites em alguns pontos de vista e por outro lado, se não mudar também algumas atitudes, não teremos futuramente um relacionamento saudável. Dessas atitudes, ainda tenho muitas duvidas quanto até onde devo permitir que as opiniões dele venham a me levar a uma mudança para não provocar sentimentos ruins nele e até onde devo permanecer com atitudes que são do meu caráter e que são, em minha opinião, princípios cristãos, como ajudar ao próximo, ouvir, conversar, acompanhar e amar os meus irmãos (mulheres e homens) em Cristo.
    Enfim, eu agradeço desde já e peço a ajuda

    • Instrutor disse:

      Deus seja louvado por sua decisão querida irmã e amiga, será uma alegria enorme podermos estudar com você,sobre o que está acontecendo em sua vida, dê este tempo a ele, mesmo que se distancie um pouco dos seus amigos, o que falta a ele é ter a confiança necessária, com o relacionamento com Deus e estando mais próximo dos seus amigos tenha certeza que ele perceberá a diferença quando temos amigos em Cristo e não do mundo não é mesmo?
      Nos diga uma coisa, você gostaria de fazer estudos bíblicos ou um estudo sobre sentimentos negativos?
      Aguardaremos seu retorno, conte sempre conosco, que Deus ilumine muito a sua vida, um grande abraço.

  • Daniela Bering disse:

    Nossa que lindo essas 17 maneiras, sempre leio várias matérias que são boas mas essa superou a todas que já li e vi..Mas que coisa gostosa de se ler de ouvir e de aprender.. Que Deus continue te abençoando (Instrutor) te dando sabedoria pra continuar escrevendo essas maravilhas para ensinar mais gente que precisa.. pois a mim me ajudou muito muito msmo.. o mundo está carente de Deus carente de Amor devido a correria do dia a dia e a saída é separação e essas palavras penetram no nosso coração como flecha e nos faz reacordar pra vida e lembrar que existe um Deus no nosso casamento na nossa vida e em tudo que fazemos.. Obrigada por este ensinamento..

  • Cintia Gonzaga disse:

    Deus arrume emprego bom para mim

    • Instrutor disse:

      Estaremos orando por você querida irmã, continue no caminho do Senhor, Ele tem lindos planos para você e abrirá uma porta maravilhosa para você, conte sempre conosco, que Deus ilumine muito a sua vida, um grande abraço.

  • Enilson disse:

    Ola irmão li seu artigo e vir vc falando de minha vida sou evangelico, mais ainda não me libertei deste mau que é o ciume, no momento eu estou separado de minha esposa por exatamente ciumes e a ira que eu não consigo controlar eu preciso de ajuda irmão quero me ver livre deste mau que me assola a minha vida pois quem mais sofre somos nos que somos ciumentos alem de infernizar a vida da pessoa que a gente ama e isso é muito ruim para o nosso casamento que geralmente leva a separação por favor me ajude.

    • Instrutor disse:

      Veja querido irmão, primeiramente não tome nenhuma decisão que faça que se arrependa depois, saiba que o casamento é um dos planos de Deus para todos nós, com isso, sabemos que satanás tenta de todas as formas atrapalhar e destruir estes planos. A ira e o ciúme são sentimentos colocados em nossas vidas pelo inimigo de Deus exatamente para que situações como a que está acontecendo em sua vida ocorram, não permita que isso aconteça com você irmão, se aproxime de Deus, quanto mais perto dEle estiver mais distante estará destes sentimentos, o que acha?
      Gostaríamos de te convidar a estudar a Palavra de Deus por e-mail, assim poderíamos conversar melhor e aprender juntos mais sobre as vontades de Deus para nossas vidas, o que acha?
      Mas um pedido que te faço é que não tome nenhuma decisão precipitada, conte sempre conosco, que Deus abençoe muito você e seu casamento, um grande abraço.

  • Tatiana disse:

    Bom dia,li o artigo tenho sofrido muito com esse sentimento…noites mal dormidas muitas brigas…toda semana falo para mim mesma que vai ser diferente mais não passa de planos,volto a fazer tudo igual. Estou indo na igreja,e parece que me sinto mais desanimada ainda… e cada vez mais triste!
    Não consigo ter auto controle…faço coisas das quais depois me arrependo muito…mais volto a fazer tudo de novo mesmo sabendo que isso me causa muito sofrimento…Preciso de ajuda sinto que sozinha não vou conseguir…

    • Instrutor disse:

      Que ótimo podermos conversar sobre isso querida irmã, realmente é muito importante termos um relacionamento muito próximo de Deus, porque somente desta forma conseguimos ter nossas vidas transformadas por Ele, te digo isso irmã, porque foi exatamente o que aconteceu comigo, o que você acha sobre isso?
      Gostaríamos de poder conversar mais contigo, entraremos em contato, que Deus abençoe muito a sua vida, um grande abraço.

  • Jessica disse:

    Estou pedindo pra Deus me dar sabedoria na hora de conversar com ele sobre esse assunto… Claro que aceito! Quando quiser começar! Obrigada pela atenção! Estarei aguardando informações. Fique na paz do Senhor. Abraços!!!

    • Instrutor disse:

      Deus seja louvado querida irmã e amiga, que alegria saber que deseja se aproximar da Palavra do Senhor, esta é uma das maiores decisões que tomamos em nossas vidas, estaremos enviando o primeiro estudo por e-mail assim que concluir este estudo me envie as respostas para que eu te envie o estudo seguinte, conte sempre comigo, que Deus abençoe muito a sua vida, um grande abraço.

  • Jessica disse:

    Boa tarde Irmão,
    Sou recém convertida e estou namorando a aproximadamente 6 meses. Entregamos nosso compromisso a Deus e desde então estamos tentando fazer somente o q agrada o Senhor. Sou muito ciumenta, e esse ciúme me machuca, me deixa muito triste. Por ser do interior, vim para a capital morar na casa de amigos da família para estudar. (acho que por não ter a presença dos meus pais, me sinto muito só e com ciúme de quem eu amo)O meu namorado é lutador e foi para o EUA fazer um treinamento e ficará 7 meses. Não sei se ele está se distanciando de mim ou é coisa da minha cabeça(por ser tão ciumenta). Quando vejo alguma foto dele, fico com ciúme. Sei que não é saudável, que todos nos temos que ter amigos e quero me libertar disso. Tenho me aproximado muito de Deus esse tempo que ele esta fora(não tem nem um mês). Não sei exatamente como orar. Não sei se ficou muito claro. Obrigada, fique com Deus.

    • Instrutor disse:

      Claro querida irmã, a melhor coisa é você se aproximar de Deus realmente, pois quanto mais próxima de Deus estiver mais distante das coisas do mundo e de sentimentos assim estará.
      O ciúme é algo que atrapalha e muto um relacionamento, quando for totalmente descontrolado, o ideal é você conversar bastante com ele sobre esta questão e juntos se aproximarem de Deus, o que acha?
      Gostaríamos de te convidar a estudar a Bíblia conosco por e-mail, desta forma, poderíamos ir conversando mais a respeito e também perceberá que irá te acalmar mais neste sentido, você aceitaria?
      Aguardaremos seu retorno, conte sempre conosco, que Deus abençoe muito a sua vida, um grande abraço.

  • Sara Gomes disse:

    Boa noite, a paz do Senhor!
    Bem, eu namoro há 2 anos quase, estou tentando ter um relacionamento diante do altar de Deus, de acordo com a vontade dEle, mas sempre sofri de muito ciúme do meu namorado. Sou muito insegura, tenho muitos complexos bobos, meu namorado é bonito, logo, é muito cobiçado, o que me deixa com muito ciúme. Já tentei muitas vezes extermina-lo por completo, mas nunca obtive sucesso. Gostei muito do texto, e me aliviou pensar que posso me controlar para ter o mínimo de ciúme, o normal, não retira-lo por completo, já que não consigo. Mas uma coisa me confunde: você citou a passagem 1º Coríntios 13:4, mas em Gálatas 5:20, diz que quem comete o ciúme (sente ciúme no caso né) não herdará o reino dos céus. Estou tão confusa… Me desculpe qualquer coisa errada que eu falei, mas tenho 17 anos e não conheço muito bem a palavra, por isso estou aqui tirando minha dúvida! Obrigada e que Deus lhe abençoe.

    • Instrutor disse:

      Veja querida irmã, todo sentimento negativo é algo que atrapalha muito a nossa vida além de ser a porta de entrada para outros sentimentos ainda piores. Perceba que o ciúme é algo que não vem sozinho, com certeza, juntamente vem a discussão ou algo ainda pior.
      A melhor coisa a fazerem é se aproximarem de Deus juntos. Qual o relacionamento que vocês estão tendo com Deus?
      Conte sempre conosco, um grande abraço.

  • claudia disse:

    ola! sou claudia, moro em sergipe e posso dizer q essa materia muito me ajudou. Sou evangelica e vivo a minha vida espiritual na intimidade c Deus e o seu santo espirito. Tenho visto em algumas cituaçoes ,q ainda não estou completamente liberta do ciume q arde: deu p entender? o ciume de fantasias, de desconfianças causadas por experiências passadas; vida intra-uterina (regeição paterna ate os dias de hoje) e experiências passadas no meu relacionamento c o meu esposo. Bem, preciso de ajuda p controlar esse tipo de sentimento e obvio as suas reaçoes q são destrutivas p mim e p o meu casamento. forte abraço!!

    • Instrutor disse:

      Veja querida irmã e amiga, a primeira pessoa que você deve pedir ajuda é Deus, peça para Ele te mostrar o que você deve fazer, como agir, conte tudo o que está passando, todos seus sentimentos, como nos orienta em I Timóteo 2:1:
      “Exorto pois, antes de tudo, que façam súplicas, orações, intercessões e ações de graças, por todos os homens.”
      Antes de qualquer coisa temos que conversar com Deus pedir sua ajuda, ninguém melhor que Ele para te ajudar porque ninguém te ama mais neste mundo do que Ele, tenha certeza que Ele está do seu lado:
      “Porque Eu, o Senhor teu Deus, te tomo pela tua mão direita, e te digo Monique: Não temas, que Eu te ajudo.” (Isaías 41: 13).
      Com a ajuda de Deus você se sentirá muito melhor, o ciúme geralmente vem de alguma desconfiança que você esteja sentindo, alguma mudança de comportamento dele, caso queira conte-me mais detalhes, para que eu possa te ajudar.
      A confiança é essencial na vida de um casal, onde não existe isso fica muito complicado e temos que tomar uma solução para que não se perca um casamento, um amor.
      O próximo passo seria conversar com seu marido, mas tem que analisar a situação, o verdadeiro motivo deste fato, o porquê disso estar acontecendo. Tenho um texto sobre 17 maneiras de um casamento feliz, veja:
      1. Estabeleça seu próprio lar
      “Portanto o homem deixará seu pai e sua mãe e se unirá à sua mulher, e serão ambos uma só carne” (Gênesis 2:24).
      A ordem de Deus é específica. Um casal deve deixar pai e mãe e estabelecer a sua própria casa, mesmo se as finanças exigem que esta seja um apartamento de um quarto. Marido e esposa devem decidir em conjunto sobre políticas como esta. Então, ela deve informar seus pais e ele, os dele. Eles devem permanecer firmes, não importando quem se opuser. Milhares de divórcios seriam evitados se esta regra fosse cuidadosamente seguida.
      2. Continue seu namoro
      “Acima de tudo, porém, tende amor intenso uns para com os outros, porque o amor cobre multidão de pecados” (1 Pedro 4:8). “Seu marido…ele a louva” (Prov 31:28). “a casada cuida …em como há de agradar ao marido” (1 Cor 7:34). “Amai-vos cordialmente uns aos outros …, preferindo-vos em honra uns aos outros” (Rom 12:10). Continue (ou talvez reviva) as cortesias do namoro na sua vida de casada (o). Casamentos bem-sucedidos não acontecem simplesmente, eles devem ser desenvolvidos. Não tome um ao outro por certo, ou a monotonia que resultará disso irá destruir seu casamento. Mantenha o amor crescendo expressando amor um pelo outro, ou ele vai morrer, e você vai ficar à deriva. O amor e a felicidade não são encontrados buscando-os para si mesmo, mas sim dando-lhes a terceiros. Então, gastem tanto tempo quanto possível, fazendo coisas juntos se vocês se dão bem. Aprendam a se cumprimentarem com entusiasmo. Relaxem, passeiem, façam compras, visitas, comam juntos. Não negligenciem as pequenas cortesias, encorajamentos e atos afetuosos. Surpreendam-se com pequenos presentes ou favores. Não tome mais do casamento do que você coloca nele. O divórcio em si não é o maior destruidor do matrimônio, mas sim, a falta de amor. Dada a oportunidade, o amor sempre vence.
      3. Lembre-se que Deus uniu vocês no casamento
      “Por esta causa deixará o homem pai e mãe e se unirá à sua mulher. … Assim não são mais dois, mas uma só carne. Portanto o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mateus 19:5, 6).
      Tem o amor quase desaparecido da sua casa? O diabo (que é um notório destruidor de lares) é responsável por isso. Não se esqueça que Deus os uniu no casamento, e Ele quer que você fique bem e seja feliz. Ele vai trazer felicidade e amor em suas vidas, se você obedecer à Sua divina regra (mandamentos). “Com Deus tudo é possível” (Mateus 19:26). Não se desespere. Deus, que coloca o amor no coração de um missionário por um selvagem leproso, pode facilmente dar o amor um pelo outro se você deixá-Lo.
      4. Guarde os seus pensamentos – não deixe seus sentidos prendê-lo
      “Porque, como imaginou no seu coração, assim ele é” (Provérbios 23:7). “Não cobiçarás a mulher do teu próximo” (Êxodo 20:17). “Guarde o teu coração, com toda a diligência, pois dele procedem as fontes da vida” (Provérbios 4:23). “Tudo o que é verdadeiro … honesto … justo … puro … amável … de boa fama, … pense nessas coisas” (Filipenses 4:8).
      O tipo errado de pensar irá destruir o seu casamento. O diabo vai prendê-lo com pensamentos como estes: “Nosso casamento foi um erro”. “Ela não me entende”. “Eu não agüento mais isso”. “Nós podemos sempre nos divorciar, se necessário”. “Eu vou voltar para casa da minha mãe”. “Ele sorriu para aquela mulher”. Pare de pensar pensamentos como este ou o seu casamento acabará, porque seus pensamentos e sentidos regem suas ações. Evite ver, dizer, ler ou ouvir qualquer coisa que (ou se associar com quem) sugere impureza ou infidelidade. Pensamentos descontrolados são como um automóvel em ponto morto em uma colina. Tudo pode acontecer, e o resultado é sempre o desastre.
      5. Nunca se recolham a noite zangados um com o outro
      “não se ponha o sol sobre a vossa ira” (Efés 4:26). “Confessai as vossas culpas uns aos outros” (Tiago 5:16). “esquecendo-me das coisas que atrás ficam” (Filip 3:13). “sede uns para com os outros benignos, misericordiosos, perdoando-vos uns aos outros, como também Deus vos perdoou em Cristo” (Efés 4:32). Permanecer com raiva e chateado com mágoas e ressentimentos (grandes ou pequenos) é extremamente perigoso. Se não são rapidamente resolvidos, mesmo os pequenos problemas se defininem em sua mente como convicções e atitudes que afetam negativamente a sua filosofia de vida. É por isso que Deus diz para deixar arrefecer a raiva antes de se recolher durante a noite. Seja suficientemente grande para perdoar e dizer com sinceridade: “Eu sinto muito.” Afinal, ninguém é perfeito e vocês estão no mesmo time, assim seja suficientemente desportivo e honesto para admitir um erro quando você o comete. Além disso, fazer isso é uma experiência muito agradável com poderes incomuns para fazer os cônjuges se aproximarem. Deus sugere isso! Funciona!
      6. Mantenha Cristo no centro de seu lar
      “Se o Senhor não edificar a casa, em vão trabalham os que a constroem” (Salmos 127:1). “Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas” (Provérbios 3:6). “E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará os vossos corações e mentes em Cristo Jesus” (Filipenses 4:7).
      Esta é a maior regra. Ela realmente cobre todas as outras. Coloque Cristo em primeiro lugar! O real segredo da verdadeira felicidade no lar não é a estratégia da diplomacia, e o incansável esforço para superar os problemas, mas sim, a união com Cristo. Corações cheios do amor de Cristo nunca podem estar muito distantes. Com Cristo em casa, o casamento será bem sucedido. O evangelho é a cura para todos os casamentos que estão cheios de ódio, amargura e decepção. Isso impede milhares de divórcios por milagrosamente restaurar o amor e a felicidade. Ele também vai salvar seu casamento, se você estiver disposto.
      7. Orem juntos
      “Orai, para que não entreis em tentação: o espírito está pronto, mas a carne é fraca” (Mateus 26:41). “Orai uns pelos outros” (Tiago 5:16). “Se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente” (Tiago 1:5).
      Orar em voz alta um pelo outro! Esta é uma regra maravilhosa. Ajoelhe-se diante de Deus e peça a Ele verdadeiro amor um pelo outro, perdão, força, sabedoria – para a solução dos problemas. Deus tem dado uma garantia pessoal de que Ele vai responder. A pessoa orando não é automaticamente curada de todos os seus defeitos, mas terá um coração que quer fazer o que é certo. Nenhuma família se desfará enquanto sinceramente orarem juntos pela ajuda de Deus.
      8. Concorde que o divórcio não é a resposta
      “Portanto o que Deus ajuntou não o separe o homem” (Mateus 19:6). “Todo aquele que repudiar sua mulher, a não ser por causa de fornicação, e casar com outra, comete adultério; E aquele que casar com ela que é repudiada comete adultério” (Mateus 19:9). “Porque a mulher que está sujeita ao marido, enquanto ele viver, está-lhe ligada pela lei” (Romanos 7:2).
      A Bíblia é clara. Os laços do matrimônio são destinados a ser indissolúveis e indestrutíveis. O divórcio é permitido apenas em caso de adultério. Mas mesmo assim, não é exigido, apenas permitido. O perdão é sempre melhor do que o divórcio, mesmo no caso de uma queda moral. O casamento é para a vida. Deus assim ordenou quando Ele realizou o primeiro casamento no Éden. Pensamentos do divórcio como solução irão destruir qualquer casamento. Esta é uma razão do porque Jesus descartou essa possibilidade. O divórcio é sempre destrutivo e quase nunca uma solução para o problema. Em vez disso, ele cria problemas muito maiores, por isso nunca deve ser considerado. Frustração, infelicidade, quase inevitavelmente se seguem ao divórcio, e até mesmo o sucesso na vida em si é muitas vezes frustrado. Deus instituiu o casamento para guardar a pureza e a felicidade das pessoas, para prover suas necessidades sociais, e para elevar a sua natureza física, mental e moral. Seus votos estão entre as obrigações mais solenes que os seres humanos podem assumir.
      9. Mantenha o círculo familiar bem fechado
      “Não adulterarás” (Ex 20:14). “O coração do seu marido está nela confiado. Ela só lhe faz bem, e não mal, todos os dias da sua vida” (Prov 31:11-12). “o SENHOR foi testemunha entre ti e a mulher da tua mocidade, com a qual tu foste desleal” (Mal 2:14). “Guarda-te da mulher má…Não cobices no teu coração a sua formosura, nem te prendas com os seus olhos…Tomará alguém fogo no seu seio, sem que as suas vestes se incendeiem?…Assim…o que se chegar à mulher do seu próximo; não ficará sem castigo” (Prov 6:24-29).
      Intimidades da família nunca devem ser compartilhadas com os outros – nem mesmo com os pais. É um grande pecado e uma tragédia quebrar essa regra dada por Deus. Uma terceira pessoa a simpatizar ou ouvir reclamações é uma ferramenta do diabo para afastar os corações do marido e da mulher. Resolva os problemas de sua casa privadamente. Ninguém MAIS (exceto seu ministro ou conselheiro matrimonial) devem estar envolvidos. Sempre sejam verdadeiros um com o outro, e nunca guardem segredos um do outro. Não brinque à custa dos sentimentos do seu cônjuge. Defenda vigorosamente um ao outro e exclua estritamente todos os intrusos. Deus, que conhece a nossa mente, corpo e estrutura emocional (e sabe o que ajuda ou prejudica a nós), diz: “não farás”. E quando Ele diz: “Não”, é melhor não. Aqueles que ignoram sua ordem vão pagar a pena suprema. Portanto, se flertes terem começado, acabe com eles de uma vez, evite suas terríveis consequências.
      10. Deus descreve o amor; torne-o sua meta diária
      “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; Não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha” (1 Cor 13:4-7).
      Por favor, releia a passagem bíblica acima com cuidado. Esta é a verdadeira descrição do amor de Deus. O amor não é um impulso sentimental, mas um princípio sagrado que envolve cada fase e ação da vida. Com o verdadeiro amor, o casamento não pode falhar. Sem ele, não pode vingar.
      11. Lembre-se que a crítica e a irritação destroem o amor
      “Vós, maridos, amai a vossas mulheres, e não vos irriteis contra elas” (Col 3:19). “É melhor morar numa terra deserta do que com a mulher rixosa e irritadiça” (Prov 21:19). “O gotejar contínuo em dia de grande chuva, e a mulher contenciosa, uma e outra são semelhantes” (Prov 27:15). “E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?” (Mateus 7:3).
      Pare de criticar, irritar, e procurar falhas. Seu marido ou esposa pode falhar muito, mas irritação não vai ajudar. Não espere perfeição, ou isso resultará em amarguras. Olhe para além das faltas e procure pelas coisas boas. Não tente mudar, controlar, ou obrigar o seu parceiro – você destruirá o amor. Somente Deus pode mudar as pessoas. Um senso de humor, um coração alegre, bondade, paciência e carinho banirá dois terços dos problemas de seu casamento. Tente fazer o seu cônjuge feliz ao invés de bom, e o bom cuidará de si mesmo. O segredo de um casamento bem-sucedido não é ter o parceiro certo, mas sim em ser o parceiro certo.
      12. Não exagere em nada, seja moderado
      “E todo aquele que luta, exerce domínio próprio em todas as coisas” (1 Cor 9:25). “o amor…não busca os seus interesses” (1 Cor 13:5). “Portanto, quer comais quer bebais, ou façais outra qualquer coisa, fazei tudo para glória de Deus” (1 Cor 10:31). “Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão” (1 Cor 9:27). “se alguém não quiser trabalhar, não coma também” (2 Tess 3:10). “Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula” (Hebreus 13:4). “Não reine, portanto, o pecado em vosso corpo mortal, para lhe obedecerdes em suas concupiscências; Nem tampouco apresenteis os vossos membros ao pecado por instrumentos de iniqüidade” (Rom 6:12-13).
      Trabalho, amor, descanso, exercícios, culto, refeições, e as relações sociais devem ser cuidadosamente equilibrados em seu casamento, ou algo vai quebrar. Excesso de trabalho e falta de sono, alimentos adequados ou exercício tornam uma pessoa crítica, intolerante e negativa. Comer em excesso constante é um grande mal que reforça a natureza inferior e entorpece a consciência. As agressões sexuais destroem o amor pelas coisas sagradas e enfraquece a vitalidade. O casamento não dá licença para excessos sexuais. Atos sexuais degradantes e destemperados destroem o amor e o respeito de um pelo outro. Uma vida sexual temperada é recomendada pela Bíblia (1 Coríntios 7:3-7). Contatos sociais com os outros são absolutamente essenciais. A verdadeira felicidade não pode ser encontrada no isolamento. Temos de aprender a rir e desfrutar saudavelmente os bons momentos. Ser excessivamente sério é perigoso. Fazer coisas demais ou de menos, enfraquece a mente, consciência, corpo, e a capacidade de amar e respeitar um ao outro. Não deixe que a intemperança destrua seu casamento.
      13. Respeite os direitos pessoais e a privacidade um do outro
      “O amor é paciente…não arde em ciúmes…não se conduz inconvenientemente, não procura os seus interesses…não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade ” (1 Coríntios 13:4-7). “Amai-vos cordialmente uns aos outros com amor fraternal, preferindo-vos em honra uns aos outros (Romanos 12:10).
      Cada cônjuge tem o direito dado por Deus a determinadas intimidades pessoais sem explicação. Não mexa em carteira ou bolsa um do outro, e-mail pessoal, celular etc sem autorização dada. O direito à privacidade e sossego quando preocupados deve ser respeitado. Cônjuges nunca devem tentar forçar mudanças de personalidade um ao outro. Só Deus pode fazer essas alterações, e todos nós responderemos pessoalmente a Ele sobre este assunto (Romanos 14:12). Aperfeiçoe a confiança um no outro isso é essencial para a felicidade. Gaste menos tempo tentando “descobrir, desmascarar” o seu cônjuge e mais tempo tentando agradar a ele ou ela. Isto opera maravilhas.
      14. Seja limpo, modesto, ordeiro e obediente
      “Da mesma forma, também, que as mulheres se ataviem com traje modesto” (1 Timóteo 2:9). “ela trabalha de boa vontade com suas mãos..Levanta-se, mesmo à noite, para dar de comer aos da casa…Está atenta ao andamento da casa, e não come o pão da preguiça” (Provérbios 31:13, 15, 27). “purificai-vos” (Isaías 52:11). “Que tudo seja feito com decência e ordem” (1 Coríntios 14:40). “Mas, se alguém não tem cuidado dos seus, e principalmente dos da sua família, negou a fé, e é pior do que o infiel (1 Tim 5:8). “Não sejais preguiçosos” (Hebreus 6:12).
      A preguiça, sujeira, desordem e desleixo são armas do Diabo para destruir o seu respeito e carinho um pelo outro, e assim arruinar seu casamento. Arrumar-se, vestir trajes limpos e modestos, cuidar do corpo, são essenciais para ambos, marido e mulher. As refeições devem ser saudáveis, atraentes, e servidas na hora. A casa deve ser limpa e arrumada, porque isso traz paz, tranqüilidade e satisfação a todos. Um marido preguiçoso que não provê a sua casa é uma maldição para sua família e um insulto a Deus. O descuido em algumas dessas questões aparentemente pequenas está destruindo lares aos milhares.
      15. Determine-se a falar baixo e gentilmente
      “A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira” (Provérbios 15:1). “Goza a vida com a mulher que amas” (Ecles 9:9). “Quando cheguei a ser homem, desisti das coisas próprias de menino” (1 Coríntios 13:11).
      Obrigue-se a falar suavemente e gentilmente com seu cônjuge. O silêncio, quando alguém é atacado, é frequentemente o melhor método para resfriar a ira. Decisões tomadas quando se está com raiva, cansado ou desanimado não são confiáveis, então é melhor relaxar e deixar esfriar a raiva. E quando você falar, fale sempre com tranquilidade e amorosamente. Palavras duras, de raiva esmagam o desejo do seu cônjuge lhe agradar.
      16. Seja razoável em matéria de dinheiro
      “Quem ama não é grosseiro nem egoísta” (1 Cor 13:4-5). “Deus ama ao que dá com alegria” (2 Coríntios 9:7).
      Todos os bens e rendas no casamento devem ser “nosso”, não “seu” e “meu”. Mulheres que não trabalham fora de casa devem receber uma quantidade regular de mantimentos, roupas e outros itens orçados. Deve-se prover alegremente ao invés de com má vontade e sob protesto. Esposa e marido, ambos devem ter pequenos montantes iguais (quando possível) para gastarem como desejar, sem prestar conta. Um marido avarento geralmente irrita sua esposa a ser uma gastadora, assim como um marido perdulário torna uma mulher mesquinha. Mostrando confiança na capacidade de gerir do seu companheiro normalmente fará com que ele ou ela sejam mais responsáveis e profissionais.
      17. Conversem e aconselhem-se livremente
      “Aquele que rejeita a correção menospreza a sua alma” (Provérbios 15:32). “Tens visto a um homem que é sábio a seus próprios olhos? Maior esperança há no insensato do que nele” (Prov 26:12).
      Poucas coisas vão fortalecer mais seu casamento do que aconselharem-se mutuamente em todas as decisões importantes. Mudar de emprego ou comprar uma casa, um automóvel, um barco, móveis, roupas (itens importantes, ou menos), e todos os outros itens que necessitam de dinheiro envolvem ambos, marido e mulher, e as opiniões de ambos devem ser consideradas. Falar sobre coisas em conjunto vai evitar muitos erros que podem arruinar seu casamento. Se, depois de muita discussão e fervorosa oração, as opiniões ainda diferirem, a esposa deve submeter-se à decisão do marido. A Bíblia é clara sobre este assunto. (Ver Efésios 5:22-24).
      Depois nos diga a sua opinião, conte sempre conosco, um grande abraço.

Comente este artigo

Comente este artigo


Current ye@r *