biblia.com.br

A intercessão de Moisés

11 de abril de 2012

Por que Moisés teve de interceder para que Deus não matasse todo o povo de Israel?

Nessa experiência de Israel nós vemos uma situação muito interessante. Moisés havia subido para receber a Lei de Deus sobre o monte Sinai, enquanto o povo que estava na planície perde a noção da presença de Deus e fabrica um bezerro de ouro para adorá-lo (Êxodo 32:1-10). Deus descreve Seu sentimento com as seguintes palavras: “Tenho visto este povo, e eis que é povo de dura cerviz. Agora, pois, deixa-me, para que se acenda contra eles o meu furor, e eu os consuma; e de ti farei uma grande nação” (Êxodo 32:9, 10). Deus muitas vezes se aproxima de nós meros mortais, e fala como um de nós falaria para que possamos entender que Ele também tem sentimentos. A Bíblia diz que “Deus não tem prazer na morte do desobediente” (Ezequiel 18:32). Ele tenta de todas as formas a salvação dos desobedientes. Mas Deus, como o supremo Juiz, tem um cálculo da maldade das nações, das famílias e dos indivíduos. Ninguém pode transpassar certa medida de maldade sem ser punido por Deus.

Quando Deus esteve conversando com Moisés sobre a maldade do povo de Israel, abriu o coração diante de Moisés. Disse em linguagem humana: “Moisés, estou triste com este povo. Fiz tantas coisas por eles. Tantas demonstrações de que os amo e os protejo, mas ainda estão reclamando e desobedecendo toda hora. Moisés, acho que vou destruir este povo e dos seus descendentes, Moisés, farei o meu povo especial. O que você acha, Moisés?”

Esta experiência foi também um teste do caráter deste grande líder, Moisés. Pense bem: “É, realmente, este povo é muito mau”. Este foi um teste quanto a seus reais sentimentos como líder: “Puxa, um povo que levará o meu nome…”. “Realmente, eu sou um grande líder, não mereço as fraquezas deste povo”. “Tudo bem, Senhor, faça um povo apenas de meus filhos!”

Será que Moisés agiu assim, sem amor para com estes rebeldes e insubordinados? Não! Moisés enxergou através das palavras de Deus, o coração de Deus. Não que Moisés fosse mais sábio ou mais bondoso que Deus. Ele apenas enxergou além das palavras. Ele se ergueu acima do baixo egoísmo da maioria dos dirigentes humanos e disse: “Senhor, tudo bem. Este povo é duro mesmo. Mas, Senhor, eu os amo! Eu ainda acho que vale a pena continuar tentando. Senhor, prefiro ficar de fora da herança prometida do que deixar este povo ficar de fora.”

Com estas palavras de Moisés, Deus sabia que as motivações deste líder não eram egoístas, mas amorosas. Deus agora podia continuar nesta batalha pelos corações e mentes daquele povo, pois tinha um líder segundo o Seu coração. Entretanto, para conseguir isso, Deus não forçou Moisés. Apenas deu-lhe a oportunidade de mostrar quais eram os seus reais sentimentos. Satanás estava trabalhando muito para que eles rejeitassem a Deus por completo. Mas Deus tinha um aliado – Moisés. Deus tinha alguém que podia ver além do aparente fracasso daquele povo.

Moisés intercedeu pelo povo de Israel. Moisés pediu perdão por aquele povo. E neste sentido, Moisés deu a Deus a chance de cumprir o que Ele mesmo gostaria: Deus perdoou o povo e foi com eles até a terra prometida. Moisés foi um grande líder. Mais do que isto, naquele momento, sem saber, Moisés estava exemplificando o caráter do próprio Jesus, que quando veio a este mundo, preferiu entregar a Sua própria vida para que nós pudéssemos ter a vida eterna. Por meio do exemplo de toda a Sua vida, Jesus também disse: “Pai, vale a pena trabalhar pela salvação da humanidade. Alguns vão aceitar. E isto basta.”

Deus não força ninguém. Se Moisés tivesse desistido do povo, talvez o povo estaria desamparado. Ninguém mais se arriscaria tanto pela salvação deles como Moisés. Mas Moisés lutou com Deus e triunfou. Ele pediu as bênçãos que Deus queria dar, e recebeu. Creio que a história da intercessão de Moisés pelo povo fala muito aos pais e professores de hoje. Nós que somos líderes (e todos nós o somos, pelo menos de nossos filhos), temos grande responsabilidade pela influência que exercemos.

Se olhamos para as pessoas como passíveis de serem vencedoras, damos a Deus a chance de completar o sonho Dele para elas – de elas serem pessoas de bem. Se não oramos e não intercedemos por aqueles que têm suas falhas, dificultamos a obra de resgatar estas pessoas do reino das trevas para o reino de Deus. Jesus veio buscar e salvar o que estava perdido. Moisés foi um colaborador de Deus nesta tarefa. Cada um de nós também pode interceder pelos perdidos. Servi-los, interceder por eles. Um dia, Deus nos dirá: “Filho, você fez exatamente o que eu mais gostaria que você fizesse. Você me ajudou a salvar!”

Equipe Biblia.com.br

O que a Bíblia diz sobre a religião?
O que preciso saber sobre o adultério (parte 2)