você está lendo...

Jeremias – Capítulo 11

1 Esta é a palavra que veio a Jeremias da parte do Senhor:
2 Ouça os termos desta aliança; e repita-os ao povo de Judá e aos habitantes de Jerusalém.
3 Diga-lhes que assim diz o Senhor, o Deus de Israel: Maldito é aquele que não obedecer aos termos desta aliança,
4 os quais ordenei aos antepassados de vocês, quan­do eu os tirei do Egito, da fornalha de fundir ferro. Eu disse: Obedeçam-me e façam tudo o que lhes ordeno, e vocês serão o meu povo, e eu serei o seu Deus.
5 Então cumprirei a promessa que fiz sob juramento aos antepassados de vocês, de dar-lhes uma terra onde há leite e mel com fartura, a terra que vocês hoje possuem. Então respondi: Amém, Senhor.
6 O Senhor me disse: Proclame todas estas palavras nas cidades de Judá e nas ruas de Jerusalém: Ouçam os termos desta aliança e cumpram-nos.
7 Desde a época em que tirei os seus antepassados do Egito até hoje, repetidas vezes os adverti, dizendo: Obedeçam-me.
8 Mas eles não me ouviram nem me deram atenção; ao contrário, seguiram os seus corações duros e maus. Por isso eu trouxe sobre eles todas as maldições desta aliança, que eu tinha ordena­do que cumprissem, mas que eles não cumpri­ram.
9 Então o Senhor me disse: Há uma conspiração entre o povo de Judá e os habitan­tes de Jerusalém.
10 Eles retornaram aos pecados de seus antepassados, que recusaram dar ouvi­dos às minhas palavras e seguiram outros deuses para prestar-lhes culto. Tanto a comunidade de Israel como a de Judá quebraram a aliança que eu fiz com os antepassados deles.
11 Por isso, assim diz o Senhor: Trarei sobre eles uma desgraça da qual não poderão escapar. Ainda que venham a clamar a mim, eu não os ouvirei.
12 Então as cidades de Judá e os habitantes de Jerusalém clamarão aos deuses aos quais quei­mam incenso, mas eles não poderão salvá-los quando a desgraça os atingir.
13 Você tem tantos deuses quantas são as suas cidades, ó Judá; e os altares que você construiu para queimar incenso àquela coisa vergonhosa chamada Baal são tantos quantas são as ruas de Jerusalém.
14 E você, Jeremias, não ore em favor deste povo nem ofereça súplica ou petição alguma por eles, porque eu não ouvirei quando clamarem a mim na hora da desgraça.
15 “O que a minha amada faz no meu templo com intenção enganosa? Será que os votos e a carne consagrada evitarão o castigo? Poderá você, então, exultar?”
16 O Senhor a chamou de oliveira verdejante, ornada de belos e bons frutos. Mas com o estrondo de um grande tumulto, ele a incendiará, e os seus ramos serão quebrados.
17 O Senhor dos Exércitos, que a plan­tou, anunciou-lhe desgraça, porque a comunidade de Israel e a comunidade de Judá fizeram o que é reprovável e provocaram a minha ira, queimando incenso a Baal.
18 Fiquei sabendo porque o Senhor me revelou; tu me mostraste o que eles estavam fazendo.
19 Eu era como um cordeiro manso levado ao matadouro; não tinha percebido que tramavam contra mim, dizendo: “Destruamos a árvore e a sua seiva[31], vamos cortá-lo da terra dos viventes para que o seu nome não seja mais lembrado”.
20 Ó Senhor dos Exércitos, justo juiz que provas o coração e a mente, espero ver a tua vingança sobre eles, pois a ti expus a minha causa.
21 Em vista disso, assim diz o Senhor a respeito dos homens de Anatote que querem tirar a minha vida, e que dizem: “Não profetize em nome do Senhor, se não nós o mataremos”;
22 assim diz o Senhor dos Exércitos: Eu os castigarei. Seus jovens morrerão à espada; seus filhos e suas filhas, de fome.
23 Nem mesmo um remanescente lhes restará, porque trarei a des­graça sobre os homens de Anatote no ano do seu castigo.


Livros
Capitulos

Compartilhe