Até quando, ó Deus, o adversário afrontará? O inimigo ultrajará o teu nome para sempre? - SALMOS 74:10

Que proveito tem?

Publicado em: 21/01/2013  |   23:00
Compartilhe:

Havia muita gente aquela tarde no cemitério. Era só olhar para as pessoas ali presentes e perceber que se tratava de uma família de muita influência ou de muito dinheiro. Morrera um homem, que vindo do nada, conseguira fazer fortuna. Conheceu a Jesus quando jovem, as a corrida louca desta vida, os compromissos de cada dia eram maiores, deixaram-lhe pouco tempo para pensar em Deus. Por “coerência e honestidade”, na opinião dele, abandonou a igreja, viveu bem longe de Deus e de Seu povo, mas envelheceu e apagou-se como todas as vidas. Graças a Deus, teve tempo de pensar enquanto estava no leito da enfermidade, teve tempo de abrir o coração a Jesus novamente e dizer-lhe que O amava e, finalmente, descansou na bendita esperança da volta de Cristo.

Agora estava ali, num caixão da melhor qualidade. Era apenas um corpo sem vida. Seria enterrado, e com o tempo, só restariam ossos e pó. Olhei para aquele cemitério cheio de túmulos e percebi que na morte, todos somos iguais. Ali não existe mais posição social, nem raça, nem nacionalidade, nem cultura, nem dinheiro. Ali, todos somos nivelados, por baixo. Num desejo extremo de manter as diferenças, os que ficam vivos ainda, podem colocar em cima de nós prata ou ouro, ou até diamantes, mas embaixo de todo o brilho, só resta o que somos: pó e ossos.

E tudo o que se fez durante a vida? E tudo que se conseguiu com tanta luta e o conhecimento que se acumulou com tanto estudo, para onde vai? Que proveito tem?

Eclesiastes 1:3 diz: “Que proveito tem o homem de todo o seu trabalho, com que se afadiga debaixo do sol?…”. Este verso nos lembra a insensatez de correr atrás de valores terrenos, esquecendo-se do único valor eterno que é Jesus. “Uma geração vai e outra geração vem e a terra permanece” (verso 4). Levamos o quê? Fica o quê? Resta o quê?

Será que Deus está nos dizendo que devemos passar a vida de braços cruzados, na mediocridade da espera improdutiva, contemplando preguiçosamente a história passar? De modo nenhum. O que o escritor bíblico está tentando expressar é que tudo na vida tem sentido, unicamente, quando Jesus está em primeiro lugar. Com Ele, a cultura tem sentido, porque o dinheiro tornar-se um meio e não um fim, o trabalho é uma oportunidade de servir e não a busca inconsciente de um sentido para a vida.

Num momento de sua vida, Salomão foi atraído pelas luzes, acumulou dinheiro, cultura, poder, fama e prazeres. Experimentou de tudo e então descobriu que longe de Deus nada satisfaz. O ser humano corre, vive correndo, continua correndo e nunca encontra o que busca. Salomão teve tempo de retornar a Deus. Teve tempo de reconhecer que sem Jesus não tem nenhum proveito o que o trabalho e a fadiga do homem são capazes de conseguir.

Está você dando a Jesus o lugar que Lhe corresponde? Tem tempo diariamente para Ele? Ou só leu esta meditação por que está na cama de um hospital? – (Escrito por Alejandro Bullon)

Os comentários estão desativados.

Leia a Biblia

Fale Conosco

Envie suas sugestões ou solicite informações