Então creram nas palavras dele e cantaram-lhe louvor. - SALMOS 106:12

Você ama? Fale!

Publicado em: 28/10/2012  |   0:00
Compartilhe:

Há maridos cuja compreensão das relações matrimoniais se resumem ao que se lê em Efésios 5:22 “As mulheres sejam submissas a seus próprios maridos, como ao Senhor”. Esquecem-se, porém, de que no estudo das Escrituras nunca se deve isolar um verso de seu contexto. É quando se leva em conta a passagem toda, os versos 22 e 23, que se obtém uma visão harmoniosa dos princípios que contribuem para o matrimônio cristão feliz.

Não haveria problema em mulheres serem submissas aos seus próprios maridos, e os maridos amassem suas mulheres, “como também Cristo amou a igreja, e a Si mesmo se  entregou por ela”. Num lar cristão, a autoridade do marido não é algo que ele impõe pela força, mas que ele ganha com o amor, um amor capaz do maior sacrifício.

O problema com muitos lares não é a ausência de amor, mas a ausência da expressão de amor, que se traduz em palavras e gestos de afeto.

Conta-se a história tragicômica de um homem muito lacônico, que perdeu a esposa depois de cinquenta anos de casados. De volta do funeral, o pastor procurou engajá-lo numa conversação.

– João – disse o pastor – Maria foi uma boa companheira, não foi?

– Sim – respondeu João.

– Você amava sua esposa, não é verdade, João?

– Sim, pastor. Maria era uma mulher maravilhosa. Eu a amava. E uma vez quase lhe disse isto.

Infelizmente, esta história ilustra o que ocorre em muitos lares. Subtende-se erradamente que o cônjuge sabe de nosso amor e admiração e, portanto, nada se fala a respeito. Uma palavra de afeto, um gesto de apreciação, faria muito para desanuviar a atmosfera de desentendimento que pesa sobre muito lar. Com a falta de expressão, o amor, qual planta delicada, tende a estiolar-se [enfraquecer-se, debilitar-se]. Hoje é o dia de manifestar nosso afeto sincero. Amanhã pode ser tarde demais.

Ellen White deixou um conselho inspirador: “Faça do seu lar uma Betel, um lugar santo e consagrado. Mantenha fofo o solo do coração pela manifestação de amor e afeição” (Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, p. 114). – Siegfried J. Schwantes.

Os comentários estão desativados.

Leia a Biblia

Fale Conosco

Envie suas sugestões ou solicite informações