biblia.com.br

Deus não predestina para a perdição

salvação

12 de janeiro de 2018

Pedro acrescenta que o Senhor não quer "que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento" (2 Pedro 3:9).

Alguns textos falam realmente que “o Senhor endureceu o coração de Faraó” (Êxodo 4:21, 7:3, 9:12, 10:1, 20, 27, 11:10, 14:4 e 8). Outros afirmam que o próprio Faraó “endureceu o seu coração” (Êxodo 8:32, 9:34 e 35, 13:15). E há um terceiro grupo de textos que declaram simplesmente que “o coração de Faraó se endureceu” (Êxodo 7:13, 22, 8:19, 9:7).

Ezequiel 33:11 afirma que o Senhor não tem “prazer na morte do perverso, mas que o perverso se converta do seu caminho e viva”. Pedro acrescenta que o Senhor não quer “que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento” (2 Pedro 3:9). Sendo assim, só podemos concluir que o endurecimento do coração de Faraó não derivou de um arbitrário decreto divino de predestinação para a perdição, e sim de uma atitude de obstinada rebeldia por parte do próprio Faraó.

No mundo natural, “o mesmo sol que derrete a cera endurece o barro”. O problema não está no sol, mas na forma diferente com que a cera e o barro reagem ao calor. De modo semelhante, o problema de Faraó não estava em Deus, mas na forma como o próprio Faraó reagia às mensagens divinas de admoestação e arrependimento. Em vez de se humilhar e arrepender, Faraó se fechava cada vez mais aos apelos divinos. Cada novo apelo para abrandar o coração acabava gerando o efeito contrário, de endurecimento.

É nesse sentido que Deus é descrito como causando a Faraó o que Ele apenas permitiu que ocorresse. É preciso reconhecer também que chegou um ponto na vida de Faraó em que ele acabou extrapolando os limites da misericórdia divina. A partir desse ponto, os apelos ao arrependimento cessaram e os juízos divinos tomaram lugar (Êxodo 7 a 12), culminando na destruição final de Faraó e do seu exército (Êxodo 14). Em tudo isso, Faraó simplesmente colheu o fruto de sua própria obstinação (ver Gálatas 6:7).

Equipe Biblia.com.br

_______________

Alberto R. Timm é Ph.D. em Religião pela Andrews University.

Aprenda a estudar a Bíblia
A corrupção tem cura

Comentários

Franciene viana

Gosto muito de estudos bíblicos

Maxuel Vasconcelos

Não podemos chegar a conclusões precipitadas por conta de versículos fora de contexto. Se lermos Salmos 139 entederemos que Deus tem o Governo sobre exatamente tudo. Outra coisa, Deus é o Criador e Ele jamais ficaria sujeito a escolha de suas criaturas. Jamais o Soberano Pai ficara sujeito a escolha do homem, ou seja, Deus faz tudo como lhe apraz e a ninguém deve satisfação ou argumento. Não tente o homem tomar o lugar de Deus. Ele governa todas as coisas.

Valfrido Furtado

Gostei quero participar

Levi de Freitas da Silva

Na realidade Deus não predestinou ninguém a perdição, prova disso é a mensagem descrita no Evangelho de João 3:16 – Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu seu Filho Unigênito, para que todo aquele que Nele crê, não PEREÇA mas tenha a vida eterna. A Salvação esta aí e é de graça, aceita quem quiser, é como água quem tem sede é só beber, não precisa morrer de sede.

Bruno

Um bom argumento.